Dragão Azul em Praias Gaúchas

| Fonte CECLIMAR

O Dragão Azul

O que: Uma espécie da lesma do mar (Glaucus atlanticus). Como um molusco, relacionado com outros invertebrados desse grupo como caramujos, polvos, lulas. Caracterizada pela morfologia distinta, possui um pé com seis ramificações simétricas decoradas com raios alongadas com faixas de azul fluorescente ou preta no fundo de azul clara ou cinza. Pode crescer até 7 cm mas geralmente encontrada entre 3-4 cm. É um predador e as presas principais são as águas vivas incluído a caravela. Tem imunidade ao veneno das suas presas. Depois de ingerir sua presa venenosa, o dragão azul armazena as toxinas para seu próprio uso como defesa em sacos especializados nas suas extremidades. Como muitos animais coloridas, a coloração florescente indica veneno é um sinal visual para os outros para evitar contato. Uma espécie hermafrodita, possuindo órgãos reprodutivos do masculino e feminino no mesmo indivíduo. Respire através das brânquias desprotegidas.

Onde: Distribuída nos todos os oceanos, especialmente nas águas tropicais e subtropicais. Mas como um organismo pelágico, geralmente fica no mar aberto e vem para as praias e regiões litorais através dos ventos e correntes. Ocorre na superfície da água através das bolsas de ar, sempre flutuando cabeça de baixo.

Mito: Pode matar humanos por causa de veneno.

Fato: Apesar de ser bastante doloroso, não tem registro de mortalidade humana por causa de contato com o dragão azul. Afinal, um organismo perigoso e deve ser evitada na água e na praia.

Texto pelo Ali Ger, Professor, CECLIMAR.

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *