ELAS MERGULHAM – COMUNIDADE JEJU HAENYEO

Na Coréia do sul, existe uma ilha de nome Jeju onde na parte leste uma comunidade de mulheres na faixa dos 65 até 92 anos praticam o mergulho no mar, para coletar alimentos e abastecerem seus lares. Esse tipo de função já virou Patrimônio Cultural Imaterial da Humanidade da Unesco e tem até estátua delas na ilha além de museu. As Jeju Haenyeo (Mergulhadoras) realizam esse trabalho por sete horas por dia, cerca de 90 dias do ano e sem auxílio de tanques sempre prendendo a respiração a cada 10m de mergulho. Sempre antes de cada mergulho comunitário são realizadas orações com pedidos por segurança e por uma captura farta de polvos, peixes, conchas, algas e frutos do mar. Essa pratica vem passando de geração em geração e também promove o status das mulheres na comunidade, representa a identidade da ilha e promove a sustentabilidade.

O fotógrafo brasileiro, Luciano Candisani passou mais de mês, imerso na secular cultura das senhoras do mar da Ilha de Jeju na Córeia do Sul. Agora seus registros e o emocionante conjunto das imagens, captadas depois de duas viagens à ilha, aparecem juntas pela primeira vez em exposição e livro, ambos produzidos pela Editora Vento Leste. Sua primeira exposição ocorre no MIS (Museu da Imagem e do Som de São Paulo) que iniciou em setembro e fica até 13 de outubro. Se tiver oportunidade confira esse belo trabalho ou assista os vídeos na Net.

Texto By Castro Pereira Fotos Arquivo Unesco e Luciano Candisani

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *