HOME | PREVISÃO | ALERTA REDES | FOTOS | VÍDEOS | BOLETINS | CAMS AO VIVO | RESSACÃO | NOTÍCIAS | CONTATO

Caio e Wiggolly vencem baterias no Rip Curl Pro Bells - ACOMPANHE AO VIVO
Voltar  Home  Imprimir esta página   17/04/2017


O paulista Caio Ibelli foi o destaque do Brasil nas ótimas ondas do Bowl de Bells Beach e de Winkipop no Domingo de Páscoa na Austrália. Ele fez grandes apresentações no duelo brasileiro com o pernambucano Ian Gouveia no Bowl e contra o taitiano Michel Bourez em Winkipop, sempre ultrapassando a barreira dos 17 pontos de 20 possíveis.

CLIQUE AQUI E ACOMPENHE AO VIVO

A segunda vitória valeu duas chances de classificação para as quartas de final do Rip Curl Pro Bells Beach. Já Wiggolly Dantas festejou sua primeira vitória em baterias do World Surf League Championship Tour esse ano. E o campeão mundial Gabriel Medina foi eliminado pelo português Frederico Morais na abertura da terceira fase, terminando em 13.o lugar na última etapa da Austrália. O próximo desafio é no Brasil, de 9 a 20 de maio em Saquarema (RJ).

“Eu estava surfando com uma prancha 5´8´´ desde que cheguei em Bells e na bateria com o Ian (Gouveia) decidi surfar com uma 5´10´´ que ainda não tinha usado aqui. Com a prancha um pouco maior, eu pude botar mais força e pressão nas manobras”, contou Caio Ibelli, após o duelo eletrizante com Ian Gouveia. “Acho que foi uma boa escolha e estou amarradão de passar por esse rounde 2 que todo surfista não quer perder. Bells é um lugar especial, eu e o Ian sempre surfamos juntos e a bateria deu muita onda boa para nós dois. Não parava de entrar onda, a gente fazia uma até a beira, remava por 3 minutos de volta até o fundo, respirava por 20 segundos e já vinha outra bomba. Foi bem cansativo, mas foi animal”.

O duelo brasileiro foi o último disputado na manhã do domingo no Bowl de Bells Beach, antes da maré começar a encher. Caio começou bem a bateria, com uma combinação de fortes batidas e rasgadas para largar na frente com nota 8,33. Logo ele surfou outra boa onda com o mesmo ataque para tirar 8,17. Ian Gouveia respondeu com um backside agressivo e entrou na briga com nota 8,67. Mas, Caio confirmou a vitória por 17,26 a 14,67 pontos, massacrando outra onda excelente que valeu nota 8,93.

Antes dessa bateria, dois brasileiros já haviam sido eliminados e também terminado em 25.o lugar no Rip Curl Pro Bells Beach como Ian Gouveia, recebendo 10.000 dólares pela participação e apenas 500 pontos no ranking. O vencedor da triagem, Samuel Pupo, não teve chances contra um inspirado Joel Parkinson na segunda bateria do dia, encerrada em 16,57 a 12,83 pontos. E o potiguar Jadson André só surfou uma onda contra outro australiano, Connor O´Leary, que venceu fácil por 13,00 a 6,33 pontos.

Mais dois brasileiros disputaram a repescagem nas direitas de Winkipop, onde as condições estavam tão boas como no Bowl de Bells. No novo pico, quem brilhou foi o português Frederico Morais, que se tornou um carrasco dos brasileiros no domingo. A primeira vítima foi Miguel Pupo, que surfou uma onda de forma excelente que valeu nota 9,37. Só que o português fez três grandes apresentações e somou 9,67 com 8,27 para vencer por 17,94 a 14,87 pontos.

Ainda na respescagem, Wiggolly Dantas finalmente conseguiu vencer sua primeira bateria do ano no CT. Ele já tinha surfado bem em Margaret River e conseguiu mostrar a força do seu backside de novo, dessa vez com mais eficiência e inteligência. Ele escolheu boas ondas para liquidar Kanoa Igarashi com a nota 9,33 que tirou em sua última atuação nas direitas de Winkipop. O surfista de Ubatuba já tinha recebido um 7,67 em sua primeira onda e totalizou 17,00 pontos contra 15,80 do norte-americano. Wiggolly agora vai enfrentar o defensor do título do Rip Curl Pro Bells Beach, Matt Wilkinson, na segunda-feira.

VITÓRIA PORTUGUESA – A segunda fase acabou e já começou a terceira, com Frederico Moraes enfrentando o campeão mundial Gabriel Medina na primeira bateria. Ele usou uma tática que acabou dando certo. A bateria começou com uma batalha pela prioridade de surfar a primeira onda e o brasileiro largou na frente com notas 6,00 e 7,57 nas duas primeiras que surfou. Não entraram muitas ondas boas, então a escolha das melhores era fundamental. Frederico não desperdiçou a primeira chance, manobrando forte numa direita que valeu nota 8,77. Ele ainda precisava de 4,80 para vencer e esperou até o último minuto, quando entrou uma onda para ele tirar 5,17 e vencer por uma pequena diferença de 13,94 a 13,57 pontos.

“Eu sabia que ia ser uma bateria bem agressiva porque o Gabriel (Medina) é um oponente formidável”, disse Frederico Morais. “A bateria foi muito intensa nos primeiros minutos, pois nós ficamos disputando um melhor posicionamento no mar para surfar a primeira onda. Por sorte, eu tive a primeira onda boa da bateria, consegui uma pontuação excelente e fiquei numa posição mais cômoda do que ele. As ondas estão muito boas e espero continuar dando show para todas as pessoas que vêm aqui para Bells assistir o campeonato”.

Logo após Frederico Morais deixar Gabriel Medina em 13.o lugar no Rip Curl Pro Bells Beach, Caio Ibelli fez outra grande apresentação no segundo duelo da terceira fase. Ele e o taitiano Michel Bourez acharam ótimas ondas para mostrarem o seu surfe. O brasileiro começou com nota 7,07 e na segunda onda fez uma combinação de três manobras muito potentes que arrancaram 9,13 dos juízes. O taitiano respondeu com 8,00, 6,33 e 8,10 em suas três melhores ondas, mas Caio Ibelli sacramentou a vitória com o 7,90 recebido em sua última, para fechar o placar em 17,03 a 16,10 pontos.

QUARTAS DE FINAL – Caio Ibelli vai disputar a primeira vaga direta para as quartas de final com o português Frederico Morais e o número 2 do Jeep WSL Leader, Owen Wright, que venceu o duelo australiano com Bede Durbidge na bateria seguinte. O segundo confronto da quarta fase também já foi formado pelos últimos resultados do domingo e terá o atual campeão mundial John John Florence, o tricampeão Mick Fanning e o havaiano Sebastian Zietz.

Os outros três brasileiros que continuam na disputa do título do Rip Curl Pro Bells Beach vão disputar as primeiras baterias da segunda-feira na Austrália. O recordista absoluto do campeonato, Filipe Toledo, vai abrir o dia enfrentando o veterano australiano Adrian Buchan. O campeão mundial Adriano de Souza entra na seguinte com o francês Jeremy Flores. E a terceira do dia será entre Wiggolly Dantas e Matt Wilkinson.

O Rip Curl Pro Bells Beach está sendo transmitido pelo www.worldsurfleague.com e pelo aplicativo da WSL e no Facebook Live através da página da World Surf League no Facebook, passando ao vivo também pela ESPN+ e globoesporte.com no Brasil, CBS Sports Network nos Estados Unidos, Fox Sports na Austrália, SKY NZ na Nova Zelândia, SFR Sports na França e em Portugal e EDGE Sports Network na China, Japão, Malásia e outros territórios asiáticos.

SOBRE A WORLD SURF LEAGUE – A World Surf League (WSL), antes denominada Association of Surfing Professionals (ASP), tem como objetivo celebrar o melhor surf do mundo nas melhores ondas do mundo, através das melhores plataformas de audiência. A Liga Mundial de Surf, com sede em Santa Mônica, na Califórnia, atua em todo o globo terrestre, com escritórios regionais na Austrália, África, América do Norte, América do Sul, Havaí, Europa e Japão.

A WSL vem realizando os melhores campeonatos do mundo desde 1976, promovendo os eventos que definem os campeões mundiais masculino e feminino no Championship Tour, além do Big Wave Tour, Qualifying Series e das categorias Junior e Longboard, bem como o WSL Big Wave Awards. A Liga tem especial atenção para a rica herança do esporte, promovendo a progressão, inovação e desempenho nos mais altos níveis.

Os principais campeonatos de surf do mundo são transmitidos ao vivo pelo www.worldsurfleague.com e pelo aplicativo grátis WSL app. A WSL já possui uma enorme legião de fãs apaixonados em todo o planeta que acompanha as performances dos melhores surfistas do mundo, como Gabriel Medina, John John Florence, Adriano de Souza, Kelly Slater, Stephanie Gilmore, Greg Long, Makua Rothman, Carissa Moore, entre outros, competindo no mais imprevisível e dinâmico campo de jogo entre todos os esportes no mundo, que é o mar.

———————————————————–

João Carvalho – WSL South America Media Manager – jcarvalho@worldsurfleague.com

———————————————————–

SEGUNDA FASE – Vitória=Terceira Fase e Derrota=25.o lugar com 500 pontos e US$ 10.000:

1.a: Jordy Smith (AFR) 18.40 x 8.83 Glyndyn Ringrose (AUS)

2.a: Joel Parkinson (AUS) 16.57 x 12.83 Samuel Pupo (BRA)

3.a: Sebastian Zietz (HAV) 16.93 x 16.84 Leonardo Fioravanti (ITA)

4.a: Ezekiel Lau (HAV) 18.40 x 16.40 Conner Coffin (EUA)

5.a: Connor O´Leary (AUS) 13.00 x 6.33 Jadson André (BRA)

6.a: Joan Duru (FRA) 16.24 x 14.60 Josh Kerr (AUS)

7.a: Caio Ibelli (BRA) 17.26 x 14.67 Ian Gouveia (BRA)

8.a: Mick Fanning (AUS) 18.20 x 12.03 Ethan Ewing (AUS)

9.a: Frederico Morais (PRT) 17.94 x 14.87 Miguel Pupo (BRA)

10: Bede Durbidge (AUS) 17.60 x 13.74 Stu Kennedy (AUS)

11: Wiggolly Dantas (BRA) 17.00 x 15.80 Kanoa Igarashi (EUA)

12: Jeremy Flores (FRA) 16.70 x 16.64 Jack Freestone (AUS)

TERCEIRA FASE – Derrota=13.o lugar com 1.750 pontos e US$ 11.500 de prêmio:

———baterias que fecharam o domingo:

1.a: Frederico Morais (PRT) 13.94 x 13.57 Gabriel Medina (BRA)

2.a: Caio Ibelli (BRA) 17.03 x 16.10 Michel Bourez (TAH)

3.a: Owen Wright (AUS) 17.54 x 13.83 Bede Durbidge (AUS)

4.a: Mick Fanning (AUS) 13.50 x 12.43 Kelly Slater (EUA)

5.a: Sebastian Zietz (HAV) 17.07 x 17.04 Julian Wilson (AUS)

6.a: John John Florence (HAV) 14.34 x 11.43 Nat Young (EUA)

7.a: Ezekiel Lau (HAV) 14.00 x 12.33 Kolohe Andino (EUA)

———baterias que vão abrir a segunda-feira:

8.a: Filipe Toledo (BRA) x Adrian Buchan (AUS)

9.a: Adriano de Souza (BRA) x Jeremy Flores (FRA)

10: Matt Wilkiinson (AUS) x Wiggolly Dantas (BRA)

11: Joel Parkinson (AUS) x Connor O´Leary (AUS)

12: Jordy Smith (AFR) x Joan Duru (FRA)

QUARTA FASE – Vitória=Quartas de Final / 2.o e 3.o=Quinta Fase:

1.a: Owen Wright (AUS), Caio Ibelli (BRA), Frederico Morais (PRT)

2.a: John John Florence (HAV), Mick Fanning (AUS), Sebastian Zietz (HAV)

3.a: Ezekiel Lau (HAV), vencedores da 8.a e da 9.a baterias da Terceira Fase

4.a: vencedores da 10.a, 11.a e 12.a baterias da Terceira Fase

QUARTAS DE FINAL DO RIP CURL WOMEN´S PRO:

1.a: Carissa Moore (HAV) x Courtney Conlogue (EUA)

2.a: Tyler Wright (AUS) x Coco Ho (HAV)

3.a: Sally Fitzgibbons (AUS) x Lakey Peterson (EUA)

4.a: Stephanie Gilmore (AUS) x Johanne Defay (FRA)


  

Voltar       Home        

Copyright by Xandão e Pitol.net
Websul Ondas do Sul