Medina e Italo nas quartas de final do Quiksilver Pro

|By João Carvalho

| Matt Dunbar e Kelly Cestari

O bicampeão mundial Gabriel Medina e o potiguar Italo Ferreira estão nas quartas de final do Quiksilver Pro Gold Coast, que será decidido neste domingo na Austrália. Eles ganharam os dois duelos brasileiros das oitavas de final no sábado em Duranbah Beach, mas o último dia será em Snapper Rocks, no palco principal da etapa de abertura do World Surf League Championship Tour. Medina defende a lycra amarela do Jeep Leaderboard na terceira quarta de final contra o sul-africano Jordy Smith e Italo entra na seguinte com o australiano Wade Carmichael. Os vencedores se enfrentam na segunda semifinal.

As duas baterias brasileiras das oitavas de final foram bem disputadas, porém faltou mais ondas boas para ser mais bonito. No sábado, o mar baixou um pouco e aumentou o intervalo entre as séries, não entrando muitas ondas nas baterias. A do Medina começou fraca, até Yago decolar num aéreo numa esquerda, completar o giro no ar e largar na frente com 7,33.

Foi também numa esquerda que Medina fez o mesmo voo sem mãos na prancha, para ganhar 6,77. Depois, trocou uma nota 6,00 por 6,23 para vencer por menos de um ponto, 13,00 a 12,53. Medina ficou marcando de perto o catarinense nos minutos finais e segue defendendo a lycra amarela do Jeep Leaderboard, enquanto Yago começa em nono lugar no primeiro ranking do World Surf League Championship Tour 2019.

O número 3 do mundo no ano passado, Filipe Toledo, também ficou nas oitavas de final do Quiksilver Pro Gold Coast. Ele disputou a primeira bateria do dia, iniciada as 7h05 em Duranbah com o havaiano John John Florence logo pegando um belo tubo, saindo e mandando um aéreo para começar com 7,33. Foi o único tubo do dia. A primeira do Filipe rendeu duas manobras fortes que valeram 5,50. O bicampeão mundial responde com mais duas ondas bem surfadas, com a melhor recebendo 6,73 dos juízes.

Filipe demora um pouco, mas pega uma onda pra fazer uma manobra forte e buscar a rampa para mandar um aéreo perfeito na onda que valeu 7,77 para o camisa 77, a maior nota das oitavas de final. Só que ainda precisava trocar o 5,50 por 6,29 para superar os 14,06 pontos do havaiano, porém não entrou nenhuma outra série de ondas boas e Filipe Toledo ficou com os 13,27 que tinha, saindo da briga pelo título que já conquistou na Gold Coast em 2015.

O catarinense Willian Cardoso também ficou em nono lugar no primeiro desafio da temporada, empatado com Filipe Toledo, Yago Dora e mais cinco surfistas que perderam nas oitavas de final. Em baterias homem a homem, Willian só enfrentou brasileiros em Duranbah Beach. Na sexta-feira, foi contra o cearense Michael Rodrigues e no sábado o potiguar Italo Ferreira, um dos destaques da semana na Gold Coast com o título no Red Bull Airborne, o circuito mundial de aéreos da World Surf League.

Eram dois estilos diferentes, Willian com seu ataque pesado jogando água pra cima nas manobras e Italo mais versátil, moderno, com aéreos que arrancam grandes notas. E foi voando num giro completo no ar que Italo ganhou a maior nota da bateria, 6,93. Ele tinha conseguido 5,77 na onda anterior e essas duas notas lhe garantiram a vitória por 12,70 pontos. Willian recebeu 6,07 na melhor onda que surfou e 5,23 na última chance que teve na bateria, quando precisava de 6,64 para vencer.

QUARTAS DE FINAL – O próximo adversário de Italo Ferreira também é do mesmo estilo “power surf” do Willian Cardoso, o australiano Wade Carmichael. As esquerdas de Duranbah vinham formando rampas perfeitas para voar e foi onde saíram as maiores notas da semana de abertura do WSL Tour 2019. Agora, já foi anunciado que as fases decisivas vão rolar no palco principal do Quiksilver Pro Gold Coast, nas direitas de Snapper Rocks.

Os dois brasileiros estão na mesma chave do evento, que vai apontar o segundo finalista no domingo. Gabriel Medina na terceira quarta de final, com o sul-africano Jordy Smith. Italo Ferreira entra na última, com o australiano Wade Carmichael. Os vencedores se enfrentam na segunda semifinal e o melhor vai disputar o primeiro lugar no Jeep Leaderboard na decisão do título do Quiksilver Pro Gold Coast.

Na chave de cima, John John Florence abre as quartas de final com o americano Conner Coffin e a segunda bateria será entre outro californiano, Kolohe Andino, e um dos estreantes na elite deste ano, o havaiano Seth Moniz. Os oito finalistas já garantiram um mínimo de 4.745 pontos no ranking e 18.000 dólares, mesma premiação para as meninas que perderam no sábado, nas quartas de final do Boost Mobile Pro Gold Coast.

SEMIFINAIS FEMININAS – Esta é a primeira etapa do World Surf League Championship Tour com igualdade nos prêmios dos homens e das mulheres, com a campeã também passando a receber 100.000 dólares pelas vitórias. A atual campeã mundial, Stephanie Gilmore, entrou na primeira bateria do sábado e foi atropelada pela jovem californiana Caroline Marks, 17 anos. Ela destruiu suas ondas e fez um novo recorde de 16,80 pontos com notas 8,47 e 8,33, sendo a primeira a ultrapassar os 15,17 da estreia da gaúcha Tatiana Weston-Webb no primeiro dia.

A brasileira entrou na bateria seguinte e não conseguiu achar ondas com potencial para repetir o seu ataque feroz de backside que a levou até ali. Mesmo assim, liderou toda a bateria até os minutos finais, quando a havaiana Malia Manuel lhe tirou a vitória em duas ondas seguidas que valeram 6,83 e 6,33, as maiores notas da bateria. Tatiana perdeu por 13,16 a 11,27 pontos e começa a temporada 2019 em quinto lugar com 4.745 pontos no ranking, empatada com a heptacampeã mundial Stephanie Gilmore.

Malia Manuel seguiu para enfrentar a sensação Caroline Marks na primeira semifinal e a disputa pela outra vaga na primeira decisão de 2019 será um clássico do surfe feminino, entre a tricampeã mundial Carissa Moore e a australiana Sally Fitzgibbons. Carissa completou até um aéreo na última bateria do dia para também ultrapassar Tatiana Weston-Webb na lista dos recordes na Gold Coast com 16,33 pontos.

A primeira chamada do domingo será as 6h30 na Austrália, 17h30 do sábado no fuso horário de Brasília, para as duas categorias. A comissão técnica também irá decidir se a competição prossegue em Duranbah Beach ou em outra praia da Gold Coast. As baterias estão sendo transmitidas ao vivo pelo www.worldsurfleague.com e pelo Facebook Live e pelo Aplicativo daWorld Surf League.

 

Para mais informações, visite o WorldSurfLeague.com.

QUARTAS DE FINAL DO QUIKSILVER PRO – 5.o lugar com 4.745 pontos e US$ 18.000:

1.a: John John Florence (HAV) x Conner Coffin (EUA)

2.a: Kolohe Andino (EUA) x Seth Moniz (HAV)

3.a: Gabriel Medina (BRA) x Jordy Smith (AFR)

4.a: Italo Ferreira (BRA) x Wade Carmichael (AUS)

SEMIFINAIS DO BOOST MOBILE PRO – 3.o lugar com 6.085 pontos e US$ 30.000:

1.a: Caroline Marks (EUA) x Malia Manuel (HAV)

2.a: Sally Fitzgibbons (AUS) x Carissa Moore (HAV)

RESULTADOS DO SÁBADO EM DURANBAH BEACH:

OITAVAS DE FINAL DO QUIKSILVER PRO – 9.o lugar com 3.320 pontos e US$ 14.100:

1.a: John John Florence (HAV) 14.06 x 13.27 Filipe Toledo (BRA)

2.a: Conner Coffin (EUA) 12.27 x 12.06 Kanoa Igarashi (JPN)

3.a: Seth Moniz (HAV) 13.37 x 10.97 Reef Heazlewood (AUS)

4.a: Kolohe Andino (EUA) 12.03 x 11.23 Owen Wright (AUS)

5.a: Gabriel Medina (BRA) 13.00 x 12.53 Yago Dora (BRA)

6.a: Jordy Smith (AFR) 13.57 x 11.07 Mikey Wright (AUS)

7.a: Italo Ferreira (BRA) 12.70 x 11.30 Willian Cardoso (BRA)

8.a: Wade Carmichael (AUS) 14.43 x 10.70 Michel Bourez (TAH)

QUARTAS DE FINAL DO BOOST MOBILE PRO – 5.o lugar com 4.745 pontos e US$ 18.000:

1.a: Caroline Marks (EUA) 16.80 x 8.77 Stephanie Gilmore (AUS)

2.a: Malia Manuel (HAV) 13.16 x 11.27 Tatiana Weston-Webb (BRA)

3.a: Sally Fitzgibbons (AUS) 14.27 x 12.50 Sage Erickson (EUA)

4.a: Carissa Moore (HAV) 16.33 x 10.83 Johanne Defay (FRA)

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *