Surf, Força e Amor!

Por Karol Lopes

Ela começou a surfar ainda criança, foi bicampeã brasileira de surf profissional, é graduada em Educação Física e proprietária da escola de surf que leva seu nome, é idealizadora do projeto Girls Surfing Experience, já encarou algumas batalhas, entre elas o câncer, é super bem resolvida com o seu corpo e ajuda a desenvolver o surf feminino no Brasil. Estou falando da surfista Suelen Naraísa. Nascida em Ubatuba, litoral norte de São Paulo, Suelen começou a surfar aos 8 anos de idade e hoje aos 34 anos, é reconhecida como uma das mais importantes representantes do surf no Brasil. Vem conferir o papo que tive com ela e inspire-se!

Você começou a surfar quando ainda era uma criança, com apenas 8 anos, como surgiu o desejo pelo surf?
Eu cresci na beira da praia de Itamambuca, onde minha avó tem um quiosque. Comecei brincando de bodyboard e um belo dia, meu irmão mais velho Wellington Carane, me colocou para ficar de pé na prancha… A partir daí, nunca mais parei!

Pouco tempo depois, com apenas 10 anos, você foi diagnosticada com um câncer. Como essa doença impactou na sua vida?
Foi um momento muito doloroso, mas que me fez amadurecer, mesmo sendo tão nova. A fé que tenho em Deus sempre me motivou a me recuperar e a voltar para casa, voltar a brincar na areia, na água e surfar, que era tudo o que eu mais queria. Aprendi que nada é impossível e que tudo acontece no tempo de Deus.

Seus irmãos também são surfistas. Essa paixão pelo esporte foi herdada pelos seus pais? Se não, como ela surgiu?
Na verdade, é um dom que Deus nos concedeu aliado a vivência que tivemos desde criança na praia. Foi algo natural, pois crescemos “respirando” surf nas areias de Itamambuca. Meu pai só começou a surfar com 48 anos.

Você é detentora de alguns títulos, entre eles, o de bicampeã brasileira. Como enxerga o surf feminino competitivo no Brasil?
Sempre acreditei demais nas nossas atletas e sempre soube do potencial que tem o surf feminino brasileiro, mas também, sempre soube das dificuldades que é ser uma atleta em nosso país. Por um tempo, cheguei a achar que nossa modalidade ia “morrer”, pois passamos por uma fase terrível, sem eventos e com cada vez menos empresas apoiando surfistas. Mas hoje vejo o surf renascendo através de uma nova geração cheia de gás, que chegou para continuar escrevendo a história do surf feminino no Brasil.

Você também é reconhecida por ajudar a desenvolver o surf feminino no país. Na sua opinião, qual o maior desafio que a categoria enfrenta no Brasil?
A falta de patrocínio sempre foi o grande problema da nossa modalidade, mas acredito que as Olimpíadas estão fazendo o cenário mudar, pois hoje, grandes empresas que não são do segmento surf, estão dando mais atenção à nossa modalidade e hoje não somos mais reféns das marcas surfwear.

Você é proprietária da Escola de Surf Suelen Naraísa. Como surgiu a vontade de criar a escola? Ela atende que tipo de aluno, apenas iniciantes?
Sempre tive em mente que o estudo era muito importante para minha carreira e mesmo sendo uma surfista profissional, pensava a longo prazo. Sai do ensino médio e cursei a faculdade, e ao longo da minha carreira, sempre tive vontade de repassar tudo que aprendi. Quando me formei em 2005, decidi abrir minha escola de surf. Durante muitos anos, fiz um trabalho social com jovens de Ubatuba e retomei esse trabalho no ano passado. Além disso, também trabalho com o público veraneio e com treinamentos para atletas.

O que é o projeto GIRLS SURFING EXPERIENCE e como ele surgiu?
Na verdade, esse projeto era apenas a minha barca em parceria com a fotógrafa Marianna Piccoli. Ele foi criado em uma viagem internacional com um grupo de mulheres e foi ganhando forças. Eu sempre pensava que ele poderia ser muito mais que uma barca, que poderia ser algo mais especial, e aí surgiu o projeto, que enche meu coração de amor e me faz brilhar os olhos. O GIRLS SURFING EXPERIENCE é uma linda vivência de surf e de vida voltado para mulheres, sem limite de idade ou experiência. Meu objetivo é transmitir amor através do surf.

Nas entrevistas que já fiz aqui para a Coluna, sempre costumo perguntar sobre o empoderamento feminino nos mais variados cenários. Como você enxerga o surf feminino no mundo e no Brasil?
Enxergo que o surf feminino no Brasil está cada dia mais unido. Hoje temos grandes nomes no esporte, que estão mudando nossa história. Cada uma tem sua forma de empoderar, às vezes, sem nem se dar conta do quão grandioso é seu papel nessa “militância” que todas nós mulheres que praticam esportes com prancha vivemos.
Algumas dessas mulheres: Maya Gabeira, Nicole Pacceli, Kealla Kenneli, Silvana Lima e até mesmo eu, com o meu trabalho em unir as mulheres em um mundo ainda tão masculino.

Quem é sua inspiração dentro do surf?
Surf para mim é um estilo de vida, uma opção de se viver livre e poder ser quem sou. Uma das mulheres que mais me inspira é a Stephanie Gilmore, que além de grande surfista, é também uma pessoa incrível.

Você também é inspiração para garotas que querem surfar independente dos “padrões” estabelecidos pela sociedade para ser uma atleta. Que dicas você dá para quem acha que não pode surfar ou praticar qualquer outro tipo de esporte porque “não se encaixa” dentro de algum padrão?
Essa é uma pergunta que sempre me fazem, não que eu me importe em responder, mas é que estes padrões não estão na minha cabeça. Não sou hipócrita de falar que não existe, só não me baseio neles para viver e a prova disso, é minha história: sou negra, mulher totalmente fora dos estereótipos imposto pela nossa sociedade, mas, que me fiz ser reconhecida primeiro como mulher, depois como atleta e hoje como coach de surf. Às vezes eu mesma me questiono o porquê cheguei onde cheguei e como fiz isso. Mas a verdade é que sempre acreditei no meu potencial. Batalhei pelas minhas conquistas, sem passar por cima de ninguém e nunca deixei ninguém ditar as minhas regras e meus limites, porque só eu sei quais são eles, e aí está o resultado. Quem conhece minha história, sabe do que estou falando.

Defina o surf em uma palavra: Amor!

 

One reply on “Surf, Força e Amor!

  • Ana Cláudia Abreu

    Coach maravilhosa!!!! Tive a honra e o prazer de aprender as minhas primeiras ondas com a Suelen! Minha eterna gratidão!!!! Bjs da Cacau

    Responder

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *