Surfista arrisca a própria vida em salvamento no Rio Tramandaí

Por Deise Mallmann (Família OndasdoSul)

Um vídeo muito chocante da tentativa de um resgate no rio Tramandaí viralizou na internet no ultimo final de semana. A Família Ondasdosul, entrevistou um dos envolvidos neste acontecimento que por pouco não terminou em tragédia.

Manhã de Domingo 28 de outubro, um ciclone extratropical passando muito próximo a costa gaucha provocou uma forte ressaca em todo sul do Brasil.

Surfista e salva vidas natural de Tramandaí Everton Lara (Guel)  é uma figura carismática da família Ondasdosul e neste dia estava junto a guia corrente do rio Tramandaí acompanhando a tradicional pesca de tarrafa com a ajuda dos botos na barra de Tramandaí, nesta modalidade de pesca os pescadores ficam na beira do canal aguardando o boto espantar os cardumes de tainha na sua direção.Um dos pescadores não percebeu uma onda mais forte que ao entrar no rio acabou arrastando-o para dentro da água, com forte recuo desta onda formou-se um redemoinho nunca antes visto neste local.

A Família Ondasdosul fez uma entrevista com Guel, acompanhe abaixo:

ODS: Guel por qual motivo tu estava no local estava acompanhado, pois no vídeo filmado aparece várias pessoas conversando.

GUEL:Eu estava passando de carro mas não iria parar, então liberou uma vaga eu estacionei 10 seg. e já avistei uma onda vindo por trás do homem que se encontrava com os pés dentro da água(profundidade um pouco a cima do tornozelo dele ) .As pessoas eu não conhecia, elas estavam olhando a pesca com a presença do boto.

ODS:Alguém se prontificou a ajudar?Em algum momento achou que iria morrer?

GUEL:Antes de pular eu pedi corda, boia e prancha algum tipo de flutuador mas ninguém tinha no momento , acabei pulando sem equipamento de segurança e com meu pouco conhecimento. Olhei para onde estava a correnteza, segui até um ponto onde me favorecia para chegar nele assim eu atingia a distância que ele estava” no vídeo você consegue ver que eu estou sendo puxado para dentro do mar antes de chegar no redemoinho por causa da correnteza ” eu vi que ele sabia boiar e tinha tentado nadar, então pensei em guiar-lo até a bancada mais a frente ou levar para a borda do redemoinho onde como você pode ver no vídeo ele não me afunda. O senhor ficava bem no meio onde ele era sugado para baixo, toda vez que isso acontecia eu nadava em direção  e puxava ele para cima tive algumas lesões no meu corpo , pois ele acabava  agarrado-me  com desespero.O redemoinho começou a ficar mais forte afundando-o sucessivamente e eu comecei a perder forças nas várias vezes que puxava o pescador para cima, no final eu não estava mais conseguindo fazer a mesma coisa então tive que sair do redemoinho, e pela primeira vez em vários anos na minha profissão de salva vidas senti que  iria morrer, a sorte que redemoinho  nos levou para o meio do rio e foi perdendo força  e na hora de maior intensidade consegui por o pescador para cima algumas vezes.

ODS :Tu falaste que teve alguns ferimentos, como agiu o pescador neste momento de desespero?

GUEL Ele foi muito guerreiro no fato de ter afundado tantas vezes e mesmo assim conseguir lutar e imergir  acho que estávamos “todos adrenalizados  (risos)”após isso ele se manteve boiando mas não conseguia sair, os pescadores gritavam para sairmos mais na frente entre a desembocadura do rio e mar, mas lá dentro nós não conseguíamos fazer nada( eu não citei mas quando eu cheguei nele pela primeira vez eu tentei usar a técnica de salvamento que basicamente é pega-lo pelas costas  e tira-lo  dali, mas era muito forte a correnteza por isso tive que mergulhar cada vez que ele afundava e tentar trazer-lo para cima da água para não ficar imerso.

ODS : Guel porque tu acha que quando pediste ajuda as pessoas que estavam olhando ninguém se prontificou a fazer algo?Como veio ajuda da lancha da Petrobras para o resgate do pescador?

GUEL: Deise nesse momentos muitas pessoas ficaram em choque , no final quando eu saí do redemoinho foi  alcançado uma corda para nos puxar, mas era curta não chegava  onde o senhor estava. Eu vi um guri que pulou também no final mas (risos), ele pulou e nem chegou a nadar e não conseguia voltar para o calçadão na beirada do rio devido a tamanha correnteza (risos), na verdade é algo muito sério poderia ser mais uma vítima de afogamento.

GUEL: Eu não sei quem acionou a ambulância e o barco não tive conhecimento, logo que o pescador foi pego eu fui embora, pois estava bastante cansado precisei ficar um pouco deitado.

ODS: Que horas que aconteceu este fato?Em meio a isso,  tu tens noção do tempo que  ficou tentando salvar o pescador? Era um pescador local, ou de outra cidade?

GUEL:Era mais ou menos 17:00 e !7:30 hs. Em relação ao tempo da tentativa de resgate perdi a noção, fiquei totalmente voltado ao salvamento.Eu não sei logo que ele foi pego pelo barco eu fui embora, o pessoal batia palmas para mim e me chamava de corajoso algumas palavras legais.

ODS: Guel achei muito corajoso sua atitude em tentar salvar um ser humano em condições extremamente adversas e também muito sensato conseguir ter discernimento em um momento tão dramático,  ver que tinha feito tudo que estava a seu alcance. O que te passou em mente para sair dali que iría morrer?

GUEL: Deise no  final sim, eu já tinha perdido as forças porque na hora que o redemoinho ficou forte e ele afundava, eu consegui algumas vezes por ele para cima , quando eu fazia isso eu ficava submerso então perdi muita força. Queria tentar por ele na borda do redemoinho onde eu estava, no vídeo você pode ver que eu não ficava no meio onde ele estava mas quando  ele afundava eu me jogava para o meio do redemoinho, trazendo ele para cima e eu ficava em baixo da água.

GUEL: Eu sabia que não iria tirar ele dali sem equipamentos adequados mas tentei guia-lo por que vi que ele sabia boiar e tinha  lá no começo do afogamento tentado dar umas braçadas  mas ele cansou.Quando cheguei ali, única coisa que eu pensava era não deixar ele afundar.Certa hora o redemoinho começou a perder força e a corrente levar ele para dentro do mar, senti que estava exausto e acabaria morrendo, foi muito difícil desistir mas infelizmente tive que sair estava no meu limite físico. Graças a Deus logo em seguida, veio a lancha da Petrobrás para fazer o resgate do pescador.

ODS: Muito obrigado pela entrevista Gue,l a FamíliaOndasdosul fica muito orgulhosa de te-lo como membro, grande honra para nós e com certeza a todos que te cercam.Abração irmão.

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *