WOMANS – MULHERES NO VISSLA SYDNEY PRO

As surfistas japonesas não estão tirando onda ainda, mas sabe-se que elas são o novo contingente a enfrentar de igual para igual, aussies, hawaiianas, californianas, ianques, francesas, neozelandezas, tahitianas, portuguesas e até brasileiras, que ainda não despontaram no tour do QS. Temos algumas bravas guerreras, mas com muita falta de aproach técnico e de bons patrocínios, para embarcarem na real deste surf dream tour. E a tal falta de apoio no sentido bruto da palavra, boas verbas para viajarem para picos de ondas boas e clássicas, fazem um pouco do diferencial nesse ataque individual ao tour competitivo da WSL. Nossas meninas viajam com pouco investimento, em pleno século moderno, chegando quase na hora da bateria, em mares desconhecidos e nunca navegados, não tendo muito tempo para se adaptar. E sempre com equipamentos que por vezes, deixam a desejar em tal tipo de onda que terão de enfrentar. Algumas arestas ainda necessitam ser aparadas, afinal somos Tricampeões Mundiais de Surf e o setor empresarial deveria olhar com melhores olhos a situação. As australianas e sua cultura surf continuam surfando as melhores, as ianques e sua cultura de massa, viajam de lá prá cá e vice versa e agora as japas entraram no tour com vontade, garra e paciência, tal o povo oriental é escolado e todas com bons aproach de patrocínios. No Vissla Sydney Pro dez atletas fizeram sua incursão para quatro brasucas e duas portuguesas, uma grande diferença no meio de oitentas e tantas surfers. Vamus prestar a atenção. Bravos a Alessa Quizon e Isabella Nichols, campeãs em Manly beach. Arigatõ! Texto By Castro Pereira Fotos WSL Dunbar e E.Smith

Ren Hashimoto JP

Sara Wakita

Alessa Quizon campeã

Brianna Coper

A brasuca Taina Hinckel

Sara Wakita

Isabella Smith

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *