ATENÇÃO Reparos na Plataforma de Tramandaí !

Site OndasdoSul esteve visitando a Plataforma de Tramandaí na tarde de ontem e conversou com o presidente Helio  de Camillis para entender o que está acontecendo afim de passar informações seguras sobre a estrutura da plataforma. Fomos informados que todos o procedimentos estão sendo tomados para o reparo da estrutura, especialistas como engenheiros e uma empresa especializada em pontes e estruturas como esta ja estão prontas para começar os reparos que deverão serem realizados na próxima semana tendo um prazo médio para sua conclusão de cinco dias. ATENÇÃO até a conclusão dos trabalhos de manutenção e reparo da plataforma pedimos aos surfista que NÃO  se aproximem do local onde aconteceu o deslocamento e “ruptura” do concreto por motivo de segurança ( restaurante próximo a costa) ! Segue abaixo nota divulgada no site da Plataforma de Pesca de Tramandai. (https://www.plataformadetramandai.com.br/)

 

No fim do mês de agosto, na estrutura de concreto sob o Restaurante da Plataforma. mais precisamente na /cozinha, houve um deslocamento da laje de concreto, percebida pelos comandatários pelo barulho produzido.  Fotos foram tiradas pela lateral da Plataforma e encaminhadas ao Engenheiro Peralta, para avaliação dos danos causados, engenheiro que foi o responsável pela revisão estrutural realizada em 2005, abrangendo os primeiros cinco vãos da estrutura, num total de mais de cem metros, com custo total de mais de R$200.000,00 pagos, em parte, com a chamada extraordinária aprovada pelo Conselho, como foi do conhecimento dos associados.  Face a Empresa Reforce Engenharia bem como seu responsável Engenheiro Peralta se localizarem em Porto Alegre, num momento delicado para deslocamento e por problemas pessoais do profissional, o primeiro contato mantido foi adiado. 4 – Através de denúncia, o Corpo de Bombeiros Militar de Tramandaí. notificou a Plataforma formalmente na presença da Presidência, oportunidade em que o referido ente público foi comunicado do contato realizado com o engenheiro responsável e que a partir de laudo a ser exarado, comunicaríamos da situação àquela guarnição. 5 – Logo após, inesperadamente – inesperadamente porque pelas informações recebidas quando da intimação, não se cogitava a interdição da Plataforma o que aconteceu na sua totalidade e não somente na parre onde se encontrava a avaria, ou seja, na cozinha, cuja desinterdição demandava parecer técnico de engenheiro responsável. 6 – Logo a visitação se fez e pela primeira impressão, verbalmente proferida e posteriormente confirmada através de laudo, a indicação da interdição da parte avariada na cozinha e aliviamento do peso dos equipamentos, serventias e materiais que se localizavam naquele espaço. 7 – Encaminhamento formal do laudo ao Corpo de Bombeiros Militar de Tramandaí, cujo pedido de desinterdição de toda a Plataforma, restringindo-se ela à parte da cozinha, foi indeferido pois que, em seu conteúdo, segundo parecer contrário, não estava clara a segurança do corredor de acesso para a passagem de associados e demais pessoas. Era necessária uma complementação. 8 – Através de E-mail, a pedido da _Plataforma, esta complementação foi encaminhada ao Corpo de Bombeiros Militar de Tramandaí, que mais uma vez não liberou a interdição, uma vez que a documentação apresentada não se tratava de parecer, com assinatura em original e, sim, de cópia via rede social e não poderia ser aceita. 9 – Esta informação foi recebido as 16:00 horas do dia 04/09/2020, sexta-feira e não houve alternativa para apresentação do original no outro dia, sábado, com vistas a liberação a partir de sexta a noite, a pedido de associados já presentes. 10 – Nos deslocamos a Porto Alegre, a partir do conhecimento da informação da necessidade de documento original e, com dificuldade, já ao cair da noite, em Porto Alegre, para a reprodução do parecer, na companhia da engenheiro Peralta, conseguimos a documentação, com chegada às 20,30 horas, junto ao quartel do Corpo de Bombeiros Militar de Tramandaí e, com a participação de plantão daquela entidade, conseguimos a desinterdição da Plataforma, à exceção da parte da cozinha, danificada 11 – Sábado, dia 05/09, pela manhã, indicados pelo Engenheiro Peralta, dois profissionais pedreiros, utilizando-se de marteletes, romperam a laje de concreto da cozinha em cerca de meio metro quadrado, de formas a permitir o exame mais apurado do local das avarias, devidamente fotografadas. 12 – Tendo em vista o resultado verificado pelos profissionais e pelas fotos registradas, entendeu o engenheiro Peralta, pelo grau de dificuldade local para saneamento das avarias, fossem consultados colegas seus, também especialistas, sugerindo à Diretoria da Plataforma que mantivesse interditada a cozinha e o restaurante e, por precaução, a parte do corredor de passagem de associados para o espigão da plataforma, para a prática da pesca, o que imediatamente foi feito. 13 – Imediatamente os contatos foram realizados, com o Engenheiro Peralta e Engenheiro Newton Saute, este, associado e participante da Comissão de Obras da Plataforma e comunicados os associados da interdição, através da DECISÃO de DIRETORIA Nº 20/2020, publicada no site da Plataforma e redes sociais, com cópia ao Corpo de Bombeiros Militar de Tramandaí. 14 – Nesta terça-feira, 15/09 recebemos, na Plataforma, além dos engenheiros citados mais o especialista em recuperação estrutural metálica, Sr. Moacir para os quais solicitamos informações técnicas sobre a possibilidade de liberação da passagem e de projeto de recuperação das avarias para futuro comprometimento da Plataforma. 15 – Examinadas as condições das avarias definiram por uma solução técnica para a estabilização da estrutura, que será discriminada à Plataforma, através de proposta para formalização de contrato de estabilização, cuja conclusão demandará, segundo informações, em torno de dez (10) a doze (12) dias, período em que, face as necessidades dos trabalhos a serem realizados no local, permanecerá o impedimento da passagem dos associados para a prática da pesca. 16 – Segundo ficou determinado, após a estabilização será emitido laudo de desimpedimento da passagem e por consequência do uso pleno da Sede Social Marítima, excluindo-se o interior onde se localizava a cozinha, que a partir de então, demandará de novas obras de alvenaria para sua utilização plena, trabalhos a serem considerados na oportunidade. 17 – Com referência aos custos associados as necessidades até agora enfrentadas, comunicamos que já despendemos, com emissão de laudos e trabalhos de engenharia e de obras, pagos, R$ 5.000,00 (cinco mil reais). Tramandaí, 16 de setembro de 2020.

Helio Claudio De Camillis Presidente

C/c. Corpo de Bombeiros Militar de Tramandaí.

 

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *