Equatorianos brilham na briga pelas vagas nas quartas de final do Corona Open Montañita Surf City

|Fonte:WSL

Dominic Barona bate o recorde de pontos do QS 1000 apresentado por Hyundai New Tucson 2022
Jonathan Zambrano e Alex Suarez fizeram uma dobradinha equatoriana eliminando dois brasileiros
O domingo decisivo começa as 8h00 no Equador, 10h00 no Brasil, ao vivo pelo www.wlslatinamerica.com

Os equatorianos fizeram as honras da casa e se destacaram na batalha pelas vagas nas quartas de final do Corona Open Montañita Surf City apresentado por Hyundai New Tucson 2022. Dominic Barona registrou um novo recorde de 15,90 pontos e Jonathan Zambrano e Alex Suárez passaram juntos, eliminando dois brasileiros. Se repetirem o feito no domingo, os dois poderão se enfrentar na disputa pela segunda vaga na grande final desta primeira das duas etapas seguidas da WSL Latin America no Equador. As quartas de final começam as 8h00 do domingo na Província de Santa Elena, 10h00 no Brasil, ao vivo pelo www.wsllatinamerica.com

As meninas abriram o sábado de ondas maiores no pointbreak de direitas de Montañita. Dominic Barona disputou o terceiro confronto do dia e pegou as melhores ondas, para mostrar a potência do seu backside vertical. A primeira que surfou foi destruída por uma série de quatro manobras no outside e mais duas no inside, que valeram nota 7,75. Logo Mimi Barona acha outra direita que abre a parede para ela massacrar de novo, com fortes batidas e rasgadas abrindo grandes leques de água. Os juízes deram nota 8,15 para a equatoriana vencer com o maior placar de todo o campeonato, 15,90 pontos.

“Estou superfeliz. Tenho trabalhado muito com meu treinador, Mario Gambelini, vendo muito o mar e estava tranquila. Na verdade, não há nada melhor do que competir em casa. É um sonho ter um QS aqui, um evento desta magnitude no quintal de casa, onde aprendi a surfar”, disse Dominic Barona. “Eu estou bem confiante no meu surfe, tenho treinado bastante e quero agradecer os meus patrocinadores e todas as pessoas que estão me apoiando, que acreditam em mim. Quero dizer aos jovens que lutem por seus sonhos, coloquem todo esforço e sacrifício que precisar, para que estes sonhos possam se tornar realidade”.

Na briga pela segunda vaga para as quartas de final nessa bateria, apesar da peruana Melanie Giunta ter conseguido uma nota 7,00, a brasileira Tainá Hinckel levou a melhor na soma das duas notas computadas, avançando para as quartas de final por 11,30 a 10,25 pontos. Dominic vai disputar a terceira vaga para as semifinais com a argentina Josefina Ané, enquanto Tainá terá um duelo brasileiro com a experiente Silvana Lima, fechando as quartas de final.

Dominic e Silvana vão competir na estreia do surfe como modalidade olímpica nos Jogos de Tóquio 2020, em julho no Japão. Mas, elas também estão numa briga direta por um lugar entre as top-5 do ranking da WSL Latin America, grupo que vai disputar classificação para a elite do World Surf League Championship Tour nas etapas do Challenger Series no segundo semestre. Para entrar na lista nesta etapa, Mimi Barona precisa da vitória em Montañita.

VAGA NO CHALLENGER SERIES – Nas outras baterias das quartas de final, também têm surfistas disputando vaga para o G-5 da WSL Latin America. A brasileira Julia Duarte está na primeira com a havaiana Summer Macedo e também necessita da vitória no Corona Open Montañita Surf City. No sábado, ela barrou a líder do ranking, Daniella Rosas, na bateria vencida por outra peruana, Sol Aguirre, que enfrenta a brasileira Naire Marquez na segunda quarta de final.

“Essa é minha primeira vez competindo aqui em Montañita e é minha primeira competição no ano também, então estou muito feliz em passar para as quartas de final”, disse Sol Aguirre. “Mas, continuo só focando bateria por bateria, onda por onda, sem pensar muito lá na frente. Eu venho treinando bastante para estar preparada para os campeonatos, todos os dias durante a quarentena. Meu pai é meu treinador de toda a vida e trabalhamos bastante as partes prática, física e psicológica, para poder competir bem”.

Com os resultados do sábado atualizados no ranking regional da WSL Latin America, a jovem peruana Sol Aguirre já assumiu a vice-liderança, a argentina Josefina Ané subiu do quarto para o terceiro lugar e Silvana Lima foi da quinta para a quarta posição. As três ultrapassaram a peruana Anali Gomez, que não foi competir no Equador e tem sua vaga para o Challenger Series ameaçada por Dominic Barona e Julia Duarte.

RECORDE DE NOTA – Depois das meninas decidirem as vagas para as quartas de final, começou a terceira fase masculina com o brasileiro Alejo Muniz destruindo uma onda com um ataque impressionante que arrancou nota 9,25 dos juízes, a maior de todo o Corona Open Montañita Surf City. Ele chegou a igualar o recorde de 14,75 pontos que o seu irmão, Santiago Muniz, que compete representando a Argentina, tinha conseguido na sexta-feira.

Mas, esta marca foi batida no confronto Brasil x Argentina que abriu a batalha por vagas nas quartas de final. Ele terminou empatado, com o argentino Jose Gundesen atingindo 15,00 pontos com notas 8,00 e 7,00. A bateria foi decidida nas últimas ondas e Samuel Pupo ficou com a segunda vaga somando 14,00 pontos, eliminando os dois que eram os favoritos para passar, Alejo Muniz e Leandro Usuña, que vai representar a Argentina nas Olimpíadas.

DESTAQUE LOCAL – Depois, os equatorianos começaram a se destacar. Nesta terceira fase, Jonathan Zambrano surfou uma onda de forma incrível e ganhou nota 8,25 com um ataque vertical de backside muito forte, para derrotar três brasileiros que já tem bons resultados no Circuito Mundial da World Surf League, Matheus Navarro, Victor Bernardo e Diego Aguiar.

Outro local de Montañitas, Alex Suárez, também surpreendeu ao superar o chileno Gustavo Dvorquez e o atual campeão sul-americano Pro Junior da WSL Latin America, Raul Rios, do Peru, se classificando atrás do brasileiro Edgard Groggia. Depois, os dois equatorianos se encontraram na terceira batalha por vagas para as quartas de final, contra dois brasileiros.

DOBRADINHA EQUATORIANA – Jonathan Zambrano voltou a fazer uma boa escolha de ondas para mostrar todo o potencial do seu backside, liderando a bateria desde o início. Largou na frente com nota 6,75 e garantiu a vitória com o 7,15 recebido na última onda que surfou. Alex Suárez também começou bem com notas 5,25 e 5,00, que foram suficientes para confirmar uma espetacular dobradinha equatoriana sobre os brasileiros Wesley Leite e Luan Hanada.

“Estou feliz por passar a bateria com meu companheiro equatoriano, Alex (Suarez), que é um excelente competidor. Eu sempre falo que ele vai ser um campeão”, contou Jonathan Zambrano. “A gente já tinha em mente o que iríamos fazer. Já tínhamos combinado antes da bateria e sabíamos que, se quiséssemos passar, teríamos que nos apoiar e foi isso que fizemos. Foi uma estratégia competitiva e fico feliz que deu certo. Amanhã voltaremos a dar o nosso melhor, surfaremos com o coração e com a força da nossa bandeira”.

“As ondas estão muito boas. Passamos de ondas pequenas ontem para grandes ondas, então estou muito feliz por passar minhas baterias hoje”, disse Alex Suárez, que trabalha em um bar em frente à praia, então compete e volta a trabalhar. “Estou muito focado e já tinha muito claro o que ia fazer. Eu e meu parceiro, Jonathan Zambrano, nos comunicamos e nos apoiamos na água. Agora tenho que voltar a trabalhar e depois irei descansar, muito feliz”.

Apesar da dupla eliminação, o Brasil vai disputar classificação em todas as baterias das quartas de final. Na primeira, Marcos Correa enfrenta o argentino Jose Gundesen. Na segunda, tem Samuel Pupo contra o peruano classificado para as Olimpíadas de Tóquio, Lucca Mesinas. Depois vem dois confrontos diretos contra o Equador, com Jonathan Zambrano disputando a terceira vaga para as semifinais com Luan Carvalho e Alex Suárez contra Edgard Groggia.

UMA VAGA NOS TOP-10 – Com as derrotas de Leandro Usuña e Victor Bernardo, Edgard Groggia é o único que ainda pode entrar na lista dos dez indicados pela WSL Latin America para o Challenger Series, no domingo decisivo do Corona Open Montañita Surf City. Mas, o único resultado para isso é a vitória nesta etapa. Se conseguir, tira a vaga de Alejo Muniz que está fechando o grupo dos top-10. Edgard venceu a última bateria do sábado.

“Estou feliz por ter conseguido fazer uma boa performance e agora é descansar, porque amanhã tem mais”, disse Edgard Groggia. “Essa é minha primeira vez aqui em Montañita e é um lugar incrível, com boas ondas e estou muito feliz por estar aqui. O evento está bem difícil, com competidores muito bons e espero que amanhã (domingo) tenha boas ondas e que eu consiga continuar surfando bem para passar as baterias”.

O Corona Open Montañita Surf City apresentado por Hyundai New Tucson 2022 no point break de Montañita, está sendo transmitido ao vivo da Província de Santa Elena pelo WorldSurfLeague.com e www.wsllatinamerica.com e pelo aplicativo grátis da World Surf League, clicando em EVENTS e QS. As quartas de final começam as 8h00 do domingo no Equador, 10h00 no Brasil.

QUARTAS DE FINAL DO CORONA OPEN MONTAÑITA SURF CITY:

CATEGORIA FEMININA – Derrota=5.o lugar com US$ 250 e 500 pts:
1.a: Summer Macedo (HAV) x Julia Duarte (BRA)
2.a: Sol Aguirre (PER) x Naire Marquez (BRA)
3.a: Dominic Barona (ECU) x Josefina Ané (ARG)
4.a: Silvana Lima (BRA) x Taina Hinckel (BRA)

CATEGORIA MASCULINA – Derrota=5.o lugar com US$ 250 e 500 pts:
1.a: Marcos Correa (BRA) x Jose Gundesen (ARG)
2.a: Samuel Pupo (BRA) x Lucca Mesinas (PER)
3.a: Jonathan Zambrano (ECU) x Luan Carvalho (BRA)
4.a: Edgard Groggia (BRA) x Alex Suarez (ECU)

RESULTADOS DO SÁBADO EM MONTAÑITA:

SEGUNDA FASE – 3.a=9.o lugar (350 pts) e 4.a=13.o lugar (295 pts):
1.a: 1-Summer Macedo (HAV), 2-Naire Marquez (BRA), 3-Jolari Carreras (PRI), 4-Isabela Saldanha (BRA)
2.a: 1-Sol Aguirre (PER), 2-Julia Duarte (BRA), 3-Lucia Indurain (ARG), 4-Daniella Rosas (PER)
3.a: 1-Dominic Bartona (ECU), 2-Tainá Hinckel (BRA), 3-Melanie Giunta (PER), 4-Arena R. Vargas (PER)
4.a: 1-Silvana Lima (BRA), 2-Josefina Ané (ARG), 3-Coco Cianciarulo (ARG), 4-Andrea Vlieg (PAN)

TERCEIRA FASE – 3.o=17.o lugar (200 pts) e 4.o=25.o lugar (75 pts):
1.a: 1-Alejo Muniz (BRA), 2-Robson Santos (BRA), 3-Gabriel A. Vargas (PER), 4-Snaider Parrales (ECU)
2.a: 1-Jose Gundesen (ARG), 2-Marcos Correa (BRA), 3-Kim Matheus (BRA), 4-Roberto Araki (CHL)
3.a: 1-Pedro Bianchini (BRA), 2-Leandro Usuna (ARG), 3-Pedro Neves (BRA), 4-Renan Peres Pulga (BRA)
4.a: 1-Lucca Mesinas (PER), 2-Samuel Pupo (BRA), 3-Ryan Kainalo (BRA), 4-Guillermo Satt (CHL)
5.a: 1-Jonathan Zambrano (ECU), 2-Matheus Navarro (BRA), 3-Victor Bernardo (BRA), 4-Diego Aguiar (BRA)
6.a: 1-Wesley Leite (BRA), 2-Luan Carvalho (BRA), 3-Felipe Oliveira (BRA), 4-Leo Casal (BRA)
7.a: 1-Edgard Groggia (BRA), 2-Alex Suarez (ECU), 3-Raul Rios (PER), 4-Gustavo Dvorquez (CHL)
8.a: 1-Santiago Muniz (ARG), 2-Luan Hanada (BRA), 3-Luis Lopez (PAN), 4-João Ricardo (BRA)

QUARTA FASE – 3.o=9.o lugar (350 pts) e 4.o=13.o lugar (295 pts):
1.a: 1-Jose Gundesen (ARG), 2-Samuel Pupo (BRA), 3-Leandro Usuña (ARG), 4-Alejo Muniz (BRA)
2.a: 1-Lucca Mesinas (PER), 2-Marcos Correa (BRA), 3-Robson Santos (BRA), 4-Pedro Bianchini (BRA)
3.a: 1-Jonathan Zambrano (ECU), 2-Alex Suarez (ECU), 3-Luan Hanada (BRA), 4-Wesley Leite (BRA)
4.a: 1-Edgard Groggia (BRA), 2-Luan Carvalho (BRA), 3-Matheus Navarro (BRA), 4-Santiago Muniz (ARG)

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *