Italo de Ouro ! DIZ AMÉM QUE O OURO VEM

“DIZ AMÉM QUE O OURO VEM 🥇🇧🇷
Obrigado meu DEUS, Glória a ti. ” Esta foi a frase escrita pelo atleta icone do surf mundial Italo Ferreira em suas redes sociais, Italo fez historia e será lembrado para sempre como o primeiro atleta olímpico a conquistar uma medalha de ouro na historia do surf em jogos olímpicos.

Italo venceu o japonês Kanoa Igarashi na final de Tóquio-2020 disputada na praia de Tsurigasaki, em Chiba, costa leste do Japão, que recebeu todo o histórico torneio. A modalidade passou a integrar o programa olímpico agora na capital japonesa. De quebra, é ainda a primeira medalha de ouro do Time Brasil este ano. “Muito feliz. Foi um dia incrível, especial, trabalhei muito para isso e acreditei. É incrível”, disse, minutos após sair da água.

 

Italo Ferreira Surfe Jogos Olímpicos de Tóquio

Italo é o primeiro ouro da história dos Jogos no surfe (Jonne Roriz / COB)

O último dia do campeonato foi disputado entre a noite de segunda (26) e a madrugada de terça (27) do Brasil, a partir das quartas de final tanto do masculino quanto do feminino. Gabriel Medina chegou até a disputa do bronze, mas perdeu para o australiano Owen Wright por míseros 0,21 pontos. Silvana Lima foi eliminada pela tetracampeã mundial Carissa Moore, dos Estados Unidos, nas quartas de final. A norte-americana sagrou-se campeã no feminino, seguida pela sul-africana Bianca Buitendag e pela japonesa Amuro Tsuzuki.

Italo foi melhor que Igarashi durante toda a final e somou 15,14 pontos, divididos em um 7,77 na quinta onda e um 7,37 na décima, para ficar com a medalha de ouro. O japonês consegiu apenas um 3,83 e um 2,77, fechando com 6,60. Ao final da bateria, o brasileiro vibrou muito e, aos prantos, foi recebido com muita festa pelo integrantes do Time Brasil ainda na praia. Wright derrotou Medina por 11,97 a 11,77.

Italo Ferreira Surfe Jogos Olímpicos de Tóquio medalha ouro
(Jonne Roriz / COB)

“Eu vim com uma frase pro Japão: ‘Diz amém que o ouro vem’. E veio. Eu acreditei até o final. Eu treinei muito os últimos meses. Deus realizou meu sonho. Só tenho agradecer a Deus, em primeiro lugar. Por me dar a oportunidade fazer o que eu amo, ajudar as pessoas e minha família. [choro]. Eu queria que minha avó estivesse vivo pra ver o que me tornei. Meu nome está escrito na história”, acrescentou Italo, para a TV Globo.

Dona Mariquinha

A avó, dona Mariquinha, foi muito lembrada pelo medalha de ouro. “Vem a minha família, a minha avó, que já se foi e que queria muito que ela estivesse aqui vendo o que estou fazendo. Fazendo o meu esporte, crescendo como pessoa e ajudando aqueles que estão ao meu lado”, disse. “Essa é uma conquista incrível para a minha carreira como profissional, mas no pessoal é ainda mais importante: olhar pra trás, ver da onde vim, com quem cresci, aqueles que estavam ao meu lado e acreditaram em todos os momentos. Acho que a parte mais difícil era lá no passado: acreditar, perseverar, treinar. Hoje só vivo um sonho e tenho que aproveitar cada oportunidade”.

Italo Ferreira Surfe Jogos Olímpicos de Tóquio medalha ouro
(Jonne Roriz / COB)

O brasileiro falou também sobre a competição. “É sempre um desafio. Sabemos que vamos entrar e fazer o nosso melhor, mas no meio do caminho tem diversas barreiras que precisamos superar, acreditar até o final. Realmente foi um campeonato diferente. Todos os atletas chegaram aqui imaginando que teríamos ondas pequenas e, uma semana antes, vimos o tufão, vieram as ondas de 1,5 m e 2 m na série, o que era totalmente diferente do que eu tinha imaginado. Competir é sempre um desafio, ainda mais no mar. Não temos controle. A parte boa é que tem muita oportunidade e você se mexe bastante, pega muita onda, coloca o adversário na pressão sempre, vai criando boas notas… e é bom competir assim, gosto de competir dessa maneira. Foi um evento especial, sem dúvida.”

 

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *