Italo e Medina já estão nas oitavas de final do Rip Curl Narraben Classic em Sidney

|Fonte :WSL

Os campeões mundiais Italo Ferreira e Gabriel Medina foram as maiores atrações do domingo de praia lotada em North Narrabeen, Sidney, Austrália. Os dois receberam grande apoio da torcida nas baterias com os australianos Mick Fanning e Dylan Moffat, respectivamente. Além deles, Filipe ToledoCaio IbelliJadson André e Tatiana Weston-Webb, já passaram para as oitavas de final do Rip Curl Narrabeen Classic apresentado pela Corona. E mais quatro surfistas da seleção brasileira ainda vão disputar classificação na terceira fase. As quatro últimas baterias ficaram para abrir a segunda-feira e a primeira chamada será as 6h45 na Austrália, 17h45 do domingo no Brasil.

Italo Ferreira e Gabriel Medina disputaram a lycra amarela de número 1 da World Surf League na final da primeira etapa da “perna australiana” do Championship Tour, encerrada no sábado da semana passada em Newcastle. Italo ganhou e os dois podem decidir a liderança do ranking de novo agora em Sidney. Medina foi o primeiro a se classificar, controlando toda a bateria contra um dos convidados do Rip Curl Narrabeen Classic, o jovem Dylan Moffat.

“Esse está sendo o meu melhor ano desde 2014 e estou feliz por estar nesse momento tão bom” disse Gabriel Medina, sobre esse início de temporada chegando na final das duas primeiras etapas, no Havaí e em Newcastle. “As minhas pranchas estão muito boas, as ondas também e são lugares (Newcastle e Narrabeen) que eu não conhecia. Estou gostando bastante, então tem um pouco de tudo dando certo e meu foco é chegar em mais uma final. É legal ter a galera toda na praia torcendo, gritando seu nome. Isso motiva a gente, então falta de torcida não vai ser. Espero que as ondas apareçam e eu faça o meu melhor”.

Gabriel Medina com Dylan Moffat (Crédito: Matt Dunbar / World Surf League via Getty Images)
Italo Ferreira competiu quatro baterias depois com outro convidado desta etapa, o tricampeão mundial Mick Fanning, que ele há havia enfrentado na primeira fase. O australiano passou pela repescagem, que abriu o domingo, para voltar a encontrar o surfista que o derrotou na bateria da sua despedida do Circuito Mundial, a grande final do Rip Curl Pro Bells Beach de 2018. Foi quando Italo festejou sua primeira vitória da carreira em etapas do CT.

Mick abriu a bateria, mas Italo já voou na primeira onda dele, fazendo a rotação completa no ar para largar na frente com nota 6,50. Logo ele pega mais uma esquerda e repete o aéreo rodando de frontside para receber outro 6,50 dos juízes. A torcida vibrou com as manobras do potiguar, que continuou arriscando os aéreos, mas sem completar. Fanning tentou verticalizar suas manobras e o máximo que conseguiu foi 5,50. Depois, não entraram mais ondas boas e Italo seguiu para as oitavas de final por 13,00 a 9,33.

“Foi muito especial surfar com o Mick (Fanning) mais uma vez”, disse Italo Ferreira“Eu sei que é sempre um grande desafio competir contra ele, então fiquei aliviado por pegar duas ondas boas no início da bateria. Eu procuro não pensar muito nos adversários que estou enfrentando. Apenas tento fazer o meu trabalho, pegar minhas ondas. Estou me sentindo superconfiante agora, então só quero continuar fazendo o meu melhor nas próximas baterias”.

Italo Ferreira voando em Narrabeen (Crédito: Mattt Dunbar / World Surf League via Getty Images)
BRIGA PELA LIDERANÇA – Com a classificação para as oitavas de final do Rip Curl Narrabeen Classic, apenas dois surfistas podem tirar a lycra amarela de Italo Ferreira nesta terceira etapa do World Surf League Championship Tour 2021. A batalha contra Gabriel Medina é fase a fase e a liderança do ranking pode ser decidida até na grande final em Sidney. O outro concorrente é o ex-líder, John John Florence, mas o havaiano já precisa vencer o campeonato para superar os 19.405 pontos que o Italo Ferreira garantiu no ranking.

O potiguar entra no mar depois deles, na quinta oitava de final com o californiano Conner CoffinJohn John enfrenta o australiano Morgan Cibilic na quarta bateria. Na terceira, Gabriel Medina faz um duelo verde-amarelo com Caio IbelliMedina tem vantagem neste confronto em etapas do CT, ganhando seis das oito baterias que disputaram. A rivalidade esquentou em 2019, quando Caio venceu duas seguidas, a segunda em Portugal com uma interferência de Medina, que deu o troco na mesma moeda em Pipeline.

SELEÇÃO BRASILEIRA – A seleção brasileira chegou com força máxima na terceira fase do Rip Curl Narrabeen Classic. O próprio Caio Ibelli e Alex Ribeiro e Tatiana Weston-Webb, que ficaram em último nas suas estreias no sábado, aproveitaram a segunda chance de classificação na repescagem que abriu o domingo. Caio e Alex venceram suas baterias e Tatiana passou em segundo lugar na dela, junto com a bicampeã mundial Tyler Wright.

O camisa 41 da seleção brasileira, Caio Ibelli (Crédito: Cait Miers / World Surf League via Getty Images)
Depois dessas primeiras rodadas eliminatórias, foi iniciada a terceira fase dos homens e Filipe Toledo ganhou a disputa pela primeira vaga nas oitavas de final do australiano Mikey Wright. Ele abriu a bateria já tentando voar de backside, mas a prancha fugiu dos seus pés. Depois pegou outra esquerda e atacou forte com três manobras de borda bem executadas com pressão e velocidade, para largar na frente com nota 5,83.

As ondas estavam demorando a entrar e o australiano preferiu esperar por uma melhor, enquanto Filipe ia pegando as que ele deixava passar para ir trocando notas. Mikey já tinha enfrentado Filipe cinco vezes em baterias no CT e perdido todas, então sabia que precisava fazer algo diferente. Mas, esperou demais. Ele só pegou sua primeira onda quando restavam 5 minutos para o término da bateria e Filipe venceu de novo, por 9,63 a 4,33 pontos.

“O mar estava difícil e fui abençoado com aquela onda no início que fiz três manobras. O Mikey é um ótimo surfista e acho que ele ficou na dúvida se ficava lá fora ou mais no inside, então sinto que minha estratégia funcionou”, disse Filipe Toledo, que comentou sobre vencer com notas baixas e a união da seleção brasileira em Sidney. “Estamos todos juntos aqui, treinando juntos, brincando e está sendo bem legal. Sobre a bateria, vitória é vitória. Não importa se é por 16 pontos ou 9, tanto faz porque meu trabalho é vencer as baterias”.

Filipe Toledo (Crédito: Matt Dunbar / World Surf League via Getty Images)
SÉRIE DE VITÓRIAS – Após Filipe ganhar a bateria que abriu a terceira fase, tiveram duas só com surfistas de outros países, antes da seleção brasileira voltar a se apresentar e conquistar mais três vitórias seguidas. A primeira foi de Jadson André sobre o australiano Jack Freestone, que tinha tirado a maior nota do evento, 8,17, com um aéreo na repescagem. Jadson começou bem com nota 6,33 e somou um 5,33 para derrota-lo por 11,66 a 10,07 pontos.

Nas disputas seguintes, Gabriel Medina superou outro australiano, Dylan Moffat, por 11,17 a 8,57 e Caio Ibelli despachou o havaiano Seth Moniz também por 11,17 pontos, graças a nota 6,57 que recebeu na última onda que surfou. A série de vitórias brasileiras foi encerrada pelo bicampeão mundial John John Florence, que barrou Miguel Pupo por 11,10 a 9,56 pontos.

Duas baterias depois, Italo Ferreira deu o seu show de aéreos contra Mick Fanning, mas o domingo terminou com outra eliminação brasileira. Deivid Silva perdeu por pouco, 11,46 a 11,20, para o japonês Kanoa IgarashiDeivid e Miguel terminaram em 17.o lugar no Rip Curl Narrabeen Classic, marcando apenas 1.330 pontos no ranking da World Surf League.

Alex Ribeiro vencendo sua primeira bateria em Sidney (Crédito: Cait Miers / World Surf League via Getty Images)
Outros quatro brasileiros ainda vão disputar classificação para as oitavas de final, pois estão nas baterias da terceira fase que ficaram para abrir o próximo dia. A do Deivid Silva que fechou o domingo foi a 12.a e Alex Ribeiro está na 13.a, com o sul-africano Jordy Smith. A 14.a será um duelo verde-amarelo entre Yago Dora e Peterson Crisanto. E na seguinte, tem o capitão da seleção brasileira, Adriano de Souza, contra o americano Griffin Colapinto.

TRANSMISSÃO AO VIVO – O Rip Curl Narrabeen Classic apresentado pela Corona está sendo transmitido ao vivo pelo www.worldsurfleague.com e pelo aplicativo grátis da World Surf League e pelos canais da ESPN Brasil. A primeira chamada da segunda-feira foi marcada para as 6h45 na Austrália, 17h45 do domingo no fuso horário de Brasília.

PERNA AUSTRALIANA – As quatro etapas da nova “perna australiana” são apresentadas pela Corona. O Rip Curl Newcastle Cup terminou no sábado com Italo Ferreira ganhando a disputa pela liderança do ranking na final com Gabriel Medina. A segunda é o Rip Curl Narrabeen Classic, que começou na sexta-feira com prazo até 26 de abril para ser encerrado em Sidney, também em New South Wales. As outras serão na região de West Australia, o Boost Mobile Margaret River Pro de 02 a 12 de maio em Margaret River e o Rip Curl Rottnest Search de 16 a 26 de maio em Rottnest Island.

RESULTADOS DO DOMINGO NO RIP CURL NARRABEEN CLASSIC

SEGUNDA FASE – 1.o e 2.o=Terceira Fase / 3.o=33.o lugar com 265 pontos:
1.a: 1-Jeremy Flores (FRA)=10.84, 2-Mick Fanning (AUS)=10.27, 3-Connor O`Leary (AUS)=4.60
2.a: 1-Jack Freestone (AUS)=12.24, 2-Dylan Moffat (AUS)=11.90, 3-Leonardo Fioravanti (ITA)=9.57
3.a: 1-Caio Ibelli (BRA)=9.97, 2-Mikey Wright (AUS)=9.94, 3-Matthew McGillivray (AFR)=7.70
4.a: 1-Alex Ribeiro (BRA)=10.66, 2-Conner Coffin (EUA)=8.60, 3-Adrian Buchan (AUS)=5.20

SEGUNDA FASE – 1.a e 2.a=Oitavas de Final / 3.a=17.o lugar com 1.045 pontos:
1.a: 1-Tyler Wright (AUS)=9.10, 2-Tatiana Weston-Webb (BRA)=8.96, 3-Laura Enever (AUS)=8.94
2.a: 1-Johanne Defay (FRA)=16.66, 2-Brisa Hennessy (CRI)=9.87, 3-Isabella Nichols (AUS)=8.70

TERCEIRA FASE – 1.o=Oitavas de Final / 2.o=17.o lugar com 1.330 pontos:
1.a: Filipe Toledo (BRA) 9.63 x 4.33 Mikey Wright (AUS)
2.a: Frederico Morais (PRT) 9.83 x 6.94 Michel Bourez (TAH)
3.a: Ethan Ewing (AUS) 13.10 x 11.83 Owen Wright (AUS)
4.a: Jadson André (BRA) 11.66 x 10.07 Jack Freestone (AUS)
5.a: Gabriel Medina (BRA) 11.17 x 8.57 Dylan Moffat (AUS)
6.a: Caio Ibelli (BRA) 11.17 x 9.60 Seth Moniz (HAV)
7.a: John John Florence (HAV) 11.10 x 9.56 Miguel Pupo (BRA)
8.a: Morgan Cibilic (AUS) 10.67 x 7.43 Julian Wilson (AUS)
9.a: Italo Ferreira (BRA) 13.00 x 9.33 Mick Fanning (AUS)
10.a: Conner Coffin (EUA) 9.60 x 9.43 Wade Carmichael (AUS)
11.a: Jack Robinson (AUS) 9.93 x 9.34 Jeremy Flores (FRA)
12.a: Kanoa Igarashi (JPN) 11.46 x 11.20 Deivid Silva (BRA)
———-ficaram para abrir o próximo dia:
13.a: Jordy Smith (AFR) x Alex Ribeiro (BRA)
14.a: Yago Dora (BRA) x Peterson Crisanto (BRA)
15.a: Griffin Colapinto (EUA) x Adriano de Souza (BRA)
16.a: Ryan Callinan (AUS) x Reef Heazlewood (AUS)

OITAVAS DE FINAL – Derrota=9.o lugar com 3.320 pontos:
1.a: Filipe Toledo (BRA) x Frederico Morais (PRT)
2.a: Jadson André (BRA) x Ethan Ewing (AUS)
3.a: Gabriel Medina (BRA) x Caio Ibelli (BRA)
4.a: John John Florence (HAV) x Morgan Cibilic (AUS)
5.a: Italo Ferreira (BRA) x Conner Coffin (EUA)
6.a: Kanoa Igarashi (JPN) x Jack Robinson (AUS)
7.a: vencedores da 13.a e 14.a baterias da Terceira Fase
8.a: vencedores da 15.a e 16.a baterias da Terceira Fase

OITAVAS DE FINAL – Derrota=9.o lugar com 2.610 pontos:
1.a: Carissa Moore (HAV) x Brisa Hennessy (CRI)
2.a: Malia Manuel (HAV) x Keely Andrew (AUS)
3.a: Sally Fitzgibbons (AUS) x Macy Callaghan (AUS)
4.a: Tatiana Weston-Webb (BRA) x Nikki Van Dijk (AUS)
5.a: Caroline Marks (EUA) x Amuro Tsuzuki (JPN)
6.a: Johanne Defay (FRA) x Tyler Wright (AUS)
7.a: Stephanie Gilmore (AUS) x Sage Erickson (EUA)
8.a: Courtney Conlogue (EUA) x Bronte Macaulay (AUS)

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *