Surfistas já escalados para estrear no Rip Curl Narraben Classic apresentado pela Corona na Austrália

Os melhores surfistas do mundo já estão em Sidney, treinando nas ondas de North Narrabeen para a segunda etapa da “perna australiana” do World Surf League Championship Tour 2021. Os brasileiros dominaram a primeira encerrada no sábado, com Italo Ferreira ganhando a final do Rip Curl Newcastle Cup contra Gabriel Medina, que valia a liderança do ranking e Filipe Toledo ficando em terceiro lugar nas semifinais.

O prazo do Rip Curl Narrabeen Classic apresentado pela Corona começa na sexta-feira e já estão definidos os confrontos da primeira fase das duas categorias. A primeira chamada ainda não foi anunciada, mas se for marcada para as 8h00 da sexta-feira na Austrália, serão 18h00 da quinta-feira no Brasil.

O potiguar Italo Ferreira enfrentará dois australianos em sua primeira defesa da liderança do ranking na sexta bateria, Morgan Cibilic que foi a grande surpresa nas ondas de Newcastle e um dos convidados desta etapa, Mick Fanning. O tricampeão mundial encerrou sua carreira em 2018, na final do Rip Curl Pro Bells Beach disputada com o mesmo Italo Ferreira. E se despediu com derrota, vendo o brasileiro festejar sua primeira vitória da carreira no CT.

O agora campeão mundial volta a competir com a lycra amarela de número 1 da World Surf League contra duas gerações do surfe australiano em Sidney, um já aposentado e um estreante na elite do CT, Morgan Cibilic. Em Newcastle, Cibilic fez grandes apresentações e barrou o ex-líder do ranking, John John Florence, só parando nas semifinais, quando Gabriel Medina voou em um aéreo fantástico que valeu a maior nota – 9,70 – do CT 2021.

Medina estreia na bateria anterior, junto com o outro surfista do Rio Grande Norte na divisão principal da World Surf League, Jadson André. Os dois vão disputar duas vagas diretas para a terceira fase com mais um convidado do Rip Curl Narrabeen Classic, Dylan Moffat. Esta será a segunda participação dupla do Brasil em Sidney. A primeira acontece na terceira bateria, com Filipe Toledo e Adriano de Souza enfrentando outro australiano, Mikey Wright.

BRASIL DO INÍCIO AO FIM – Assim como em Newcastle, a primeira fase desta terceira etapa do World Surf League Championship Tour 2021 começa e termina com brasileiros nas baterias. O catarinense Yago Dora está na primeira com o japonês Kanoa Igarashi e o australiano Connor O´Leary. Na segunda, tem o paulista Alex Ribeiro com o bicampeão mundial John John Florence e o português Frederico Morais. E a terceira é a do Filipe e Mineirinho.


Os outros brasileiros irão competir depois dos dois últimos campeões mundiais, Gabriel Medina (2018) e Italo Ferreira (2019), fazerem sua primeira apresentação em North Narrabeen. Nesta rodada inicial, os dois melhores de cada uma das doze baterias, avançam direto para a terceira fase. Mas, os últimos colocados têm outra chance de classificação na repescagem.

Peterson Crisanto está na sétima bateria com o francês Jeremy Flores e o australiano Ethan Ewing, entrando logo após a estreia do Italo na sexta. Depois, tem Miguel Pupo na décima com o australiano Julian Wilson e o californiano Conner Coffin, Deivid Silva na 11.a com os australianos Jack Freestone e Wade Carmichael, com Caio Ibelli disputando a 12.a e última com o americano Griffin Colapinto e o australiano Jack Robinson.

OI RIO PRO EM AGOSTO – A grande meta de todos é conseguir ficar entre os top-5 no ranking das nove etapas, que será definido no Outerknown Tahiti Pro, marcado para os dias 22 de agosto a 1.o de setembro nos tubos de Teahupoo. A World Surf League anunciou algumas mudanças no calendário no último sábado. O Oi Rio Pro apresentado pela Corona em Saquarema estava previsto para junho e foi transferido para os dias 11 a 16 de agosto. A nova data é na reta final da batalha pelas cinco vagas para o Rip Curl WSL Finals, que vai decidir os títulos mundiais de 2021 no melhor dia de ondas no período de 8 a 17 de setembro em Lower Trestles, na Califórnia, Estados Unidos.

Já a grande novidade anunciada no calendário é o retorno do México, que depois de 15 anos vai receber os melhores surfistas do mundo com a confirmação do Corona Open Mexico apresentado pela Quiksilver, para os dias 05 a 15 de julho nas direitas tubulares de Barra de La Cruz, em Oaxaca. Com esse evento, a América Latina também volta a sediar duas etapas do WSL Championship Tour, o que não acontecia desde 2007, quando teve a do Brasil e outra no Chile, nos perigosos tubos de El Gringo, em Arica. Os dois eventos, de 2006 no Mexico e de 2007 no Chile, foram vencidos pelo tricampeão mundial Andy Irons (in memoriam).

RIP CURL WSL FINALS – No momento, os cinco que estão se classificando após as duas primeiras etapas, são os brasileiros Italo Ferreira em primeiro lugar no ranking e Gabriel Medina em segundo, o havaiano John John Florence em terceiro e três surfistas dividem a quarta posição, o sul-africano Jordy Smith, o japonês Kanoa Igarashi e o australiano Ryan Callinan. Com o terceiro lugar conseguido na semifinal brasileira com Italo Ferreira no Rip Curl Newcastle Cup, Filipe Toledo subiu para a sétima posição.

Na categoria feminina, são três surfistas empatadas em quinto lugar no ranking das duas primeiras etapas, a brasileira Tatiana Weston-Webb, a norte-americana Caroline Marks e a australiana Sally Fitzgibbons. A líder é a campeã em Newcastle e defensora do título mundial, Carissa Moore, do Havaí, seguida pelas australianas Tyler Wright em segundo lugar, a novata Isabella Nichols em terceiro e a heptacampeã mundial Stephanie Gilmore em quarto.

CATEGORIA FEMININA – Stephanie foi escalada para abrir o Rip Curl Narrabeen Classic, Tyler Wright e Caroline Marks estão juntas na segunda bateria e na terceira Carissa Moore entra vestindo a lycra amarela novamente. Assim como na categoria masculina, as duas melhores de cada bateria passam direto para a terceira fase, que para as meninas já são oitavas de final. As terceiras colocadas têm uma última chance de avançar na repescagem.

A brasileira Tatiana Weston-Webb vai fechar a primeira fase em Sidney, com a americana Courtney Conlogue e a australiana Bronte Macaulay. A gaúcha começou bem a temporada, ficando em terceiro lugar na primeira etapa em dezembro no Havaí. Ela só perdeu para a tetracampeã mundial Carissa Moore nas semifinais, depois de se tornar a primeira mulher a vencer uma bateria em etapas do WSL Championship Tour nos tubos de Pipeline.

PERNA AUSTRALIANA – As quatro etapas da nova “perna australiana” são apresentadas pela Corona. O Rip Curl Newcastle Cup terminou no sábado em Merewether Beach e a segunda é o Rip Curl Narrabeen Classic, que começa nesta sexta-feira com prazo até 26 de abril para ser encerrado em Sidney, também em New South Wales. As outras serão na região de West Australia, o Boost Mobile Margaret River Pro de 02 a 12 de maio em Margaret River e o Rip Curl Rottnest Search de 16 a 26 de maio em Rottnest Island.

PRIMEIRA FASE CLASSIFICATÓRIA DO RIP CURL NARRABEEN CLASSIC:

CATEGORIA MASCULINA – 1.o e 2.o=Terceira Fase / 3.o=Repescagem:
1.a: Kanoa Igarashi (JPN), Yago Dora (BRA), Connor O´Leary (AUS)
2.a: John John Florence (HAV), Frederico Morais (PRT), Alex Ribeiro (BRA)
3.a: Filipe Toledo (BRA), Adriano de Souza (BRA), Mikey Wright (AUS)
4.a: Jordy Smith (AFR), Adrian Buchan (AUS), Reef Heazlewood (AUS)
5.a: Gabriel Medina (BRA), Jadson André (BRA), Dylan Moffat (AUS)
6.a: Italo Ferreira (BRA), Morgan Cibilic (AUS), Mick Fanning (AUS)
7.a: Jeremy Flores (FRA), Peterson Crisanto (BRA), Ethan Ewing (AUS)
8.a: Ryan Callinan (AUS), Michel Bourez (TAH), Leonardo Fioravanti (ITA)
9.a: Owen Wright (AUS), Seth Moniz (HAV), Matthew McGillivray (AFR)
10.a: Julian Wilson (AUS), Conner Coffin (EUA), Miguel Pupo (BRA)
11.a: Jack Freestone (AUS), Wade Carmichael (AUS), Deivid Silva (BRA)
12.a: Griffin Colapinto (EUA), Caio Ibelli (BRA), Jack Robinson (AUS)

CATEGORIA FEMININA – 1.a e 2.a=Oitavas de Final / 3.a=Segunda Fase:
1.a: Stephanie Gilmore (AUS), Malia Manuel (HAV), Brisa Hennessy (CRI)
2.a: Caroline Marks (EUA), Tyler Wright (AUS), Macy Callaghan (AUS)
3.a: Carissa Moore (HAV), Nikki Van Dijk (AUS), Laura Enever (AUS)
4.a: Sally Fitzgibbons (AUS), Johanne Defay (FRA), Sage Erickson (EUA)
5.a: Lakey Peterson (EUA), Isabella Nichols (AUS), Keely Andrew (AUS)
6.a: Tatiana Weston-Webb (BRA), Courtney Conlogue (EUA), Bronte Macaulay (AUS)

TOP-10 DO RANKING 2021 DA WORLD SURF LEAGUE – após 2 etapas:
1.o- Italo Ferreira (BRA) – 16.085 pontos
2.o- Gabriel Medina (BRA) – 15.600
3.o- John John Florence (HAV) – 11.330
4.o- Jordy Smith (AFR) – 8.065
4.o- Kanoa Igarashi (JPN) – 8.065
4.o- Ryan Callinan (AUS) – 8.065
7.o- Filipe Toledo (BRA) – 7.415
7.o- Morgan Cibilic (AUS) – 7.415
9.o- Kelly Slater (EUA) – 6.350
10.o- Jeremy Flores (FRA) – 6.075
10.o- Deivid Silva (BRA) – 6.075
10.o- Leonardo Fioravanti (ITA) – 6.075
———–outros brasileiros:
13.o- Adriano de Souza (BRA) – 5.010
15.o- Caio Ibelli (BRA) – 4.650
15.o- Peterson Crisanto (BRA) – 4.650
15.o- Yago Dora (BRA) – 4.650
15.o- Miguel Pupo (BRA) – 4.650
25.o- Jadson André (BRA) – 3.585
32.o- Alex Ribeiro (BRA) – 1.595

TOP-10 DO RANKING FEMININO DA WORLD SURF LEAGUE:
1.a- Carissa Moore (HAV) – 17.800 pontos
2.a- Tyler Wright (AUS) – 12.610
3.a: Isabella Nichols (AUS) – 10.410
4.a- Stephanie Gilmore (AUS) – 9.490
5.a- Caroline Marks (EUA) – 8.695
5.a- Sally Fitzgibbons (AUS) – 8.695
5.a- Tatiana Weston-Webb (BRA) – 8.695
8.a- Lakey Peterson (EUA) – 7.355
8.a- Courtney Conlogue (EUA) – 7.355
8.a- Johanne Defay (FRA) – 7.355

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *