Publicado em

Próxima Etapa Circuito Mundial de Surf WSL 22 a 30 de junho Saquarema Brasil

A próxima etapa da WSL, a Liga Mundial de Surfe, será a de Saquarema, no Rio de Janeiro entre os próximos  dias 22 a 30 de junho. Depois, o Circuito Mundial fica parado até agosto já que, entre os dias 26 de julho e 11 de agosto, serão disputados os Jogos Olímpicos.

A última etapa da WSL foi a de El Salvador. Entre as mulheres, vitória para a americana Caroline Marks. Na disputa masculina, título para o havaiano John John Florence, com o brasileiro Yago Dora que fico na segunda colocação.Além de Yago, Italo Ferreira e Gabriel Medina representam o Brasil no top-10 da temporada da WSL. No entanto, nenhum dos três está nas cinco primeiras colocações atualmente, o que é necessário para disputar o título no WSL Finals, em setembro.

ETAPAS DA WSL
Pipeline (Havaí) – Barron Mamiya e Caitlin Simmers venceram
Sunset Beach (Havaí) – Jack Robinson e Molly Picklum venceram
Peniche (Portugal) – Griffin Colapinto e Johanne Defay venceram
Bells Beach (Austrália) – Cole Houshmand e Caitlin Simmers venceram
Margaret River (Austrália) – Jack Robinson e Gabriela Bryan venceram
Teahupo’o (Taiti) – Italo Ferreira e Vahiné Fierro venceram
Punta Roca (El Salvador) – John John Florence e Caroline Marks venceram
Saquarema (Brasil) – 22 a 30 de junho
Cloudbreak (Fiji) – 20 a 29 de agosto
Trestles (EUA) – 6 a 14 de setembro (WSL Finals)

 

foto de capa Praia de Itaúna superlotada nas finais do Vivo Rio Pro em Saquarema (Foto: Daniel Smorigo/World Surf League)

 

Publicado em

Peruanos vencem em casa três dos quatro títulos do Lobitos Pro Longboard e Junior

Os peruanos fizeram a festa em casa, conquistando três dos quatro títulos do Lobitos Pro Longboard e Junior, nas ondas perfeitas do sábado em Piscinas, na província de Talara, em Piura, norte do Peru. As finais do Longboard foram dois confrontos diretos entre Brasil e Peru, com Maria Fernanda Reyes derrotando Luana Soares e Lucas Garrido Lecca vencendo Alexandre Escobar. A primeira decisão Junior foi 100% peruana e Catalina Zariquiey acabou com a invencibilidade da Arena Rodriguez Vargas em 2024. A outra final Junior foi brasileira e Ryan Kainalo assumiu a liderança no ranking sul-americano, contra Ryan Martins na bateria que fechou o Lobitos Pro Longboard e Junior.

Na próxima semana, tem a segunda etapa seguida da WSL South America, organizada pela FENTA (Federacion Deportiva Nacional de Tabla) no Peru, que vai decidir os títulos sul-americanos de 2024 da World Surf League. A batalha final será no Huanchaco Pro Longboard e Junior nos dias 19 a 22 na Playa El Elio, na província de Trujillo, em La Libertad, também no norte do Peru. Mesmo não chegando nas finais, os brasileiros Jefson Silva e Kate Brandi seguem liderando os rankings e apenas o campeão e a campeã sul-americana, se classificam para o Circuito Mundial da WSL, que começa em julho na Austrália.

Com a vitória no Lobitos Longboard Pro, a peruana Maria Fernanda Reyes entrou na briga do título, assim como a vice-campeã, Luana Soares, que barrou a líder, Kate Brandi, nas semifinais. O resultado confirmou o favoritismo da peruana, que conseguiu as cinco maiores notas do longboard feminino nas esquerdas perfeitas de Piscinas. Na grande final, Maria Fernanda Reyes fez os recordes da temporada sul-americana esse ano, nota 8,00 e 14,50 pontos, para festejar a sua primeira vitória em etapas da World Surf League. Ela subiu da sétima para a quarta posição no ranking e vai competir praticamente em casa em Huanchaco, na etapa que vai decidir o título sul-americano de 2023/2024.

Maria Fernanda ReyesMaria Fernanda Reyes bateu todos os recordes de 2024 do longboard feminino em Lobitos – WSL / FENTA“Eu fiquei um pouco nervosa, porque não escutava as notas por causa do vento. Mas, estou contente por conseguir duas ondas para ganhar e deixar esse título em casa”, disse Maria Fernanda Reyes. “É a primeira vez que eu ganho uma etapa da WSL South America, então estou superfeliz. Eu sempre quis ser campeã desse circuito e estou muito contente, não tenho nem palavras para descrever o que estou sentindo. Quero agradecer a todos de Lobitos e de Piscinas, dessas ondas maravilhosas. Vamos seguir apoiando todos os peruanos que ainda vão competir nas outras finais”.

Maria Fernanda Reyes também falou sobre a decisão do título no Huanchaco Pro Longboard e Junior na próxima semana: “Huanchaco é a minha segunda casa, é um dos lugares que eu mais surfo, é uma onda que eu conheço bem, mas a gente nunca sabe o que pode acontecer. O importante é seguir passo a passo e que seja como Deus quiser. Eu quero agradecer a toda a minha família, meu namorado e a todos os patrocinadores, por sempre me apoiarem”.

Lobitos ProLuana Soares, Alexandre Escobar, Maria Fernanda e Lucas Garrido no pódio do Longboard – WSL / FENTAQuem também ganhou chances matemáticas de brigar pelo título sul-americano, com a vitória no Lobitos Longboard Pro, foi Lucas Garrido Lecca. Ele só participou da primeira etapa deste ano no Uruguai e ficou em quinto lugar. Acabou não competindo no Brasil, mas são computados três resultados no ranking final, então essa ausência foi o seu descarte. Assim como Maria Fernanda Reyes, ele fez o maior somatório do longboard masculino de 2024.

Lucas Garrido Lecca pegou as melhores ondas que entraram na final, para somar 7,40 com 6,67 na vitória por 14,07 a 9,34 pontos. Nas semifinais, ele também não deu qualquer chance ao uruguaio Julian Schweizer e Alexandre Escobar passou pelo líder do ranking peruano, Joan Aponte. A vitória no Lobitos Longboard Pro valia a liderança no ranking para o brasileiro, que vinha de vitória no Saquarema Surf Festival. Alexandre Escobar não conseguiu, mas se aproximou de Jefson Silva, que permaneceu na frente.

“Estou muito feliz. Há muito tempo eu não ganhava um campeonato importante e os últimos anos foram bem difíceis na minha carreira esportiva, por falta de patrocínios”, contou Lucas Garrido Lecca. “Eu tive que focar em outras coisas, mas vim para esse campeonato pensando em deixar o título em casa. Minha prancha estava funcionando bem e todo esse trabalho de anos e anos, me proporcionou conseguir este resultado. Estou muito feliz, porque na América do Sul estão os melhores longboarders do mundo e poder ganhar em casa, com todos me apoiando, foi superemocionante”.

Lucas Garrido LeccaLucas Garrido Lecca fez o maior somatório do ano nas esquerdas de Piscinas – WSL / FENTAFINAL PERUANA – A série de vitórias peruanas prosseguiu na primeira decisão da categoria para surfistas com até 20 anos de idade. As peruanas dominam o ranking sul-americano Pro Junior e Arena Rodriguez Vargas poderia até confirmar o título da temporada 2024 por antecipação. Para isso, teria que manter a invencibilidade construída com as vitórias nas duas primeiras etapas, em Punta Hermosa no Peru e em Saquarema no Brasil. As duas finais foram contra Kalea Gervasi, primeira vítima da surfista de apenas 15 anos de idade, Catalina Zariquiey, no sábado.

Arena Rodriguez passou pela competidora ainda mais jovem, Sofia Artieda, de 14 anos, mas Catalina competia em casa. Ela mostrou todo o seu melhor conhecimento das ondas de Piscinas, desde o início do Lobitos Pro Junior na quinta-feira. No primeiro dia, seu ataque de backside com fortes batidas e rasgadas, ganhou a maior nota do ano na categoria, 9,00. Ela também começou melhor a decisão do título, com 6,67 contra 5,33 da Arena Rodriguez. Catalina Zariquiey ficou na frente durante toda a bateria e confirmou o título numa onda destruída por uma série de cinco manobras, que valeram 7,40. Com essa nota, selou a sua primeira vitória na WSL, por 14,07 a 10,20 pontos.

Catalina ZariquieyCatallina Zariquiey impressionou com seu ataque de backside nas esquerdas de Piscinas – WSL / FENTA“Estou muito feliz. Foi uma final superemocionante e eu queria fazer uma final com a Arena há bastante tempo, porque é uma competidora superforte”, disse Catalina Zariquiey. “O mar estava muito bom, foi um campeonato incrível e estou superfeliz de ganhar aqui em casa. Eu estava tranquila, já estava feliz por estar na final pela primeira vez. Queria ganhar obviamente e consegui pegar boas ondas, uma atrás da outra. Foi superemocionante e dedico essa vitória ao meu papai, que sempre está me apoiando”.

Com a vitória no Lobitos Pro Junior, Catalina Zariquiey subiu da quinta para a terceira posição no ranking da WSL South America e passou a ter chances de ganhar o título sul-americano também, ou brigar pela segunda vaga para o Mundial Junior da World Surf League. Catalina agora totaliza 2.000 pontos, contra 2.250 da Kalea Gervasi e 2.800 da líder, Arena Rodriguez Vargas. Diferente do Longboard, que vai fechar a temporada em Huanchaco, ainda tem uma quinta etapa do Pro Junior prevista para definir os títulos sul-americanos em Punta Rocas, em novembro também no Peru.

Lobitos ProArena Rodriguez Vargas e Catalina Zariquiey no pódio peruano do Lobitos Pro Junior – WSL / FENTAMELHOR DO ANO – No Pro Junior masculino, o título também foi merecidamente conquistado pelo melhor surfista nas esquerdas de Piscinas. Ryan Kainalo bateu todos os recordes do ano na categoria, desde a sua estreia no Lobitos Pro Junior, já fazendo o maior somatório da temporada, 17,00 pontos. Na sexta-feira também somou duas notas excelentes, acima de 8, no segundo maior placar do campeonato, 16,60 pontos. E no sábado, aumentou os seus recordes na semifinal com o equatoriano Maximiliano Saenz, atingindo 17,27 pontos com um 9,50, a maior do ano na categoria.

Dois dos cinco juízes deram nota 10 na onda destruída por um ataque incrível de backside, combinando batidas verticais e grandes rasgadas com impressionante velocidade. Com a derrota do líder do ranking, Leo Casal, para Maximiliano Saenz nas quartas de final, que abriram o sábado no Peru, Guilherme Ferreira poderia lhe tirar a primeira posição se passasse para as semifinais, mas perdeu. Rickson Falcão também tomaria a liderança do Leo Casal se chegasse na final, mas perdeu nas semifinais para Ryan Martins, que estava participando da sua primeira etapa na WSL South America esse ano.

Lobitos ProRyan Kainalo e Ryan Martins no pódio 100% brasileiro do Lobitos Pro Junior – WSL / FENTALÍDER DO RANKING – Então, só restou Ryan Kainalo com chances de alcançar a ponta do ranking, mas só se vencesse o campeonato. Ryan Martins até largou na frente, com seu frontside ganhando notas 4,50 e 5,33 nas duas primeiras ondas, contra 3,50 e 4,67 do atual campeão sul-americano Pro Junior. Mas, há 10 minutos do fim, Ryan Kainalo achou uma esquerda que abriu uma parede mais sólida, já mandou uma batida vertical no pocket da onda e seguiu atacando com mais cinco manobras, para receber nota 8,00. A seguinte foi boa também e somou 6,33 na vitória por 14,33 a 9,83 pontos.

“Estou contente pela vitória e mais feliz ainda por poder dar o meu máximo e não deixar nada”, disse Ryan Kainalo. “Nos últimos cinco eventos, eu perdi na segunda fase, passava uma bateria e perdia na outra. Foram dias de muitos treinos, estava muito quente aqui, alguns amigos brasileiros passaram mal com o calor, desidratação, então estava tentando me cuidar ao máximo, para não ficar doente e não poder dar o meu melhor aqui. Este foi o primeiro evento que eu passei da segunda fase, então depois disso só pensei em dar tudo de mim, para chegar bem em Huanchaco e fazer mais um bom resultado lá”.

Ryan Kainalo fez as melhores apresentações do ano na categoria Pro Junior em Lobitos – WSL / FENTAA

Vitória de Ryan Kainalo no Lobitos Pro Junior, foi a quinta da sua carreira na categoria para surfistas com até 20 anos de idade. Ele é mais um fenômeno surgido em Ubatuba, na terra do bicampeão mundial Filipe Toledo no litoral norte de São Paulo. Ryan Kainalo já disputou o Challenger Series no ano passado e tem dois bicampeonatos em etapas do Pro Junior em 2022 e 2023, em Ballito na África do Sul e em Punta Rocas no Peru, onde deve acontecer a decisão do título sul-americano de 2024. Ele foi o campeão em 2023, então será que vem mais um bicampeonato para a sua coleção?

RESULTADOS DO ÚLTIMO DIA DO LOBITOS PRO JUNIOR:
Campeão: Ryan Kainalo (BRA) por 14,33 pts (8,00+6,33) – US$ 1.000 e 1.000 pts
2.o lugar: Ryan Martins (BRA) com 9,83 pts (5,33+4,50) – US$ 550 e 800 pts

SEMIFINAIS – 3.o lugar com US$ 300 e 650 pontos:
1.a: Ryan Kainalo (BRA) 17,27 x 6,84 Maximiliano Saenz (ECU)
2.a: Ryan Martins (BRA) 10,67 x 9,57 Rickson Falcão (BRA)

QUARTAS DE FINAL – 5.o lugar com US$ 175 e 500 pontos:
1.a: Ryan Kainalo (BRA) 12,83 x 9,77 Tomas Goransky (ARG)
2.a: Maximiliano Saenz (ECU) 10,17 x 8,00 Leo Casal (BRA)
3.a: Ryan Martins (BRA) 11,27 x 9,83 Guillherme Ferreira (BRA)
4.a: Rickson Falcão (BRA) 11,13 x 6,04 Pol Huguet (PER)

DECISÃO DO PRO JUNIOR FEMININO:
Campeã: Catalina Zariquiey (PER) por 14,07 pts (7,40+6,67) – US$ 1.000 e 1.000 pts
2.o lugar: Arena R. Vargas (PER) com 10,20 pts (5,33+4,87) – US$ 550 e 800 pts

SEMIFINAIS – 3.o lugar com US$ 300 e 650 pontos:
1.a: Catalina Zariquiey (PER) 12,50 x 11,00 Kalea Gervasi (PER)
2.a: Arena Rodriguez Vargas (PER) 15,10 x 14,90 Sofia Artieda (PER)

RESULTADOS DO ÚLTIMO DIA DO LOBITOS LONGBOARD PRO:
Campeão: Lucas Garrido Lecca (PER) por 14,07 pts (7,40+6,67) – US$ 1.000 e 1.000 pts
2.o lugar: Alexandre Escobar (BRA) com 9,34 pts (5,77+3,57) – US$ 550 e 800 pts

SEMIFINAIS – 3.o lugar com US$ 300 e 650 pontos:
1.a: Lucas Garrido Lecca (PER) 12,66 x 9,04 Julian Schweizer (URU)
2.a: Alexandre Escobar (BRA) 11,67 x 10,43 Joan Aponte (PER)

DECISÃO DO LONGBOARD FEMININO:
Campeã: Maria Fernanda Reyes (PER) por 14,50 pts (8,00+6,50) – US$ 1.000 e 1.000 pts
2.o lugar: Luana Soares (BRA) com 10,67 pts (5,50+5,17) – US$ 550 e 800 pts

SEMIFINAIS – 3.o lugar com US$ 300 e 650 pontos:
1.a: Luana Soares (BRA) 11,87 x 10,86 Kate Brandi (BRA)
2.a: Maria Fernanda Reyes (PER) 11,50 x 9,77 Evelin Neves (BRA)

RANKINGS DA WSL SOUTH AMERICA DE LONGBOARD 2023/2024:

TOP-5 DA CATEGORIA MASCULINA – 3 etapas:
1.o: Jefson Silva (BRA) – 2.150 pontos
2.o: Alexandre Escobar (BRA) – 2.095
3.o: Matias Maturano (PER) – 1.950
4.o: Lucas Garrido Lecca (PER) – 1.500
4.o: Wenderson Biludo (BRA) – 1.500

TOP-5 DA CATEGORIA FEMININA – 3 etapas:
1.a: Kate Brandi (BRA) – 2.100 pontos
2.a: Luana Soares (BRA) – 1.800
2.a: Rayane Amaral (BRA) – 1.800
4.a: Maria Fernanda Reyes (PER) – 1.650
4.a: Evelin Neves (BRA) – 1.650

RANKINGS DA WSL SOUTH AMERICA PRO JUNIOR 2024:

TOP-5 DA CATEGORIA MASCULINA – 3 etapas:
1.o: Ryan Kainalo (BRA) – 1.850 pontos
2.o: Leo Casal (BRA) – 1.800
3.o: Rickson Falcão (BRA) – 1.745
3.o: Guilherme Ferreira (BRA) – 1.745
5.o: Cauet Frazão (BRA) – 1.645

TOP-5 DA CATEGORIA FEMININA – 3 etapas:
1.a: Arena Rodriguez Vargas (PER) – 2.800 pontos
2.a: Kalea Gervasi (PER) – 2.250
3.a: Catalina Zariquiey (PER) – 2.000
4.a: Sofia Artieda (PER) – 1.745
5.a: Camila Sanday (PER) – 1.295

Publicado em

OZ – JACK FATURA MARGARET

O garoto volcano Jack Robinson, nascido na área venceu a etapa de Margaret River e deixou sua torcida feliz dia 21 passado. O aussie passou por baterias casca grossas e acabou reeditando o resultado de 2022 quando venceu ao hawaiiano John John na grande final. As ondas balançaram com 2.5 metros no Main Break e Jack abriu o dia nas oitavas vencendo Italo Ferreira por 15.13X11.87 deixando-o em nono lugar. Na sequencia afiou seu surf com Imaikalani Devault, hawaiiano nas quartas e entrou firme nas semi-finais onde derrotou Seth Moniz, também hawaiiano por 14.33X13.70 no resultado. Depois amarradão e focado assistiu a final feminina e se preparou para o tudo ou nada com mais outro hawaiiao, este já conhecido. Robinson abriu a pendenga e João João correu atrás colocando nota sobre nota no Main Break, porem no final da bateria não conseguiu emplacar uma performance mais segura e poderosa. Jack que surfou ondas consistentes e de alta radicalidade e arcos fechou a fatura com 17.27X16.04 de João João. Terceiro encontro esse dos dois e Robinson marcou três vitórias. O garoto da Volcan é candidato ao titulo mundial com certeza. Esse evento marcou o corte para as etapas finais e a gang brasuca sofreu baixas duras. Mas temos o incrível Gabriel Medina, Italo Ferreira, o perseverante e o elástico Yago Dora, lutando firme. Aguardem mais! Agora tem Challengers na terra dos Cangurus.
Texto by Castro Pereira Fotos BeatrisRyder/AaronHughes/WSL

Publicado em

OZ – IANQUES VENCEM EM BELLS

Uma dupla de ianques velhos conhecidos de San Clemente fez a final masculina, dia 03 último no bowls de Bells Beach na etapa da WSL australiana. O conhecido Griffin Colapinto que lidera o ranking da associação, realizou um heat morno com seu friend Cole Houshmand, novato que acabou vencendo a pendenga nas marolas de um metro. Colapinto continua com a lycra amarela em Margaret.
Na ala das meninas, após a derrota de nossa Tatiane Weston Weeb, a etapa colocou na final a ianque Caitlin Simmers e a francesa Johanne Defay, que vem imprimindo consistência firme em seu surf e realizando boas provas. Caitlin obteve a chance de vencer na última onda, conseguindo uma bela pontuação o que alguns observadores não concordaram com os juízes. Nessa temporada, alguns heats andam bem irregulares nos julgamentos. Um exemplo além do Gabriel, o heat da ianque Lakey Peterson e Brisa Hennessy, decidido por 0,01 décimo. Bem, temos um head judge brasileiro trabalhando nesta temporada e mais provas vem por ai. Aguardemos mais!
Texto by Castro Pereira Fotos by

Publicado em

AUSTRÁLIA – MEDINA NA MEDIDA

O tricampeão mundial de surf Gabriel Medina, que nesta temporada vem surfando com muita consistência dentro das etapas do tour, chegou a Austrália bastante motivado e seguiu firme para Victoria, onde em Bells Beach rolou mais uma etapa do gelado Rip Curl Pro. E durante o desenrolar dos sets de competição, performances de tirar o fôlego e derrotas foram pegando a turma de surpresa. Principalmente entre a brasucada e durante as oitavas Medina sentiu mais uma vez sua impotência frente ao juízes e suas considerações e observações de potencial de ondas. E como sempre seus critérios voláteis e por vezes incompreensíveis.
E num heat matador, Medina já com a vitória na mão nos dois minutos finais, toma uma virada, dita por muitos observadores como infeliz e mal julgada, mal avaliada e com respaldos curiosíssimos. Uma pequena onda, bem alinhada e surfada com técnica precisa pelo ianque Cole Houshmand, porem sem muito a coroar e narrar, vira o resultado tornando-se a maior nota da bateria, tirando o brasileiro da contenda pelo titulo da etapa.
E Gabriel que já é fera criada nas arenas dos oceanos da WSL, observou a onda de seu algoz e depois do resultado, no calor da emoção, se pronunciou forte e corajoso sobre o fato. Deu que só faltou dar no The New York Times, pois até agora está surgindo em tudo que é mídia e rede social do planeta. As palavras de Medina em entrevista na praia, foram traduzidas ao pé da letra para o público português e conferidas pelos estrangeiros na língua imperial do inglês.
Um outro fato que ocorreu sobre os julgamentos foi comentado pela ianque Lakey Peterson que ficou constrangida por sofrer a derrota por 0,01 décimo para a costariquenha Brisa Hennessy. Bateria polemica.
Fala Cole; aquela bateria contra o Medina foi mais um sonho do que ganhar uma competição. Houve entrevistas minhas aos 11anos falando que Gabby é meu surfer favorito, então ter uma bateria assim no mais alto nível e sair por cima é mais uma realização marcante.
Fechando a fatura Medina na entrevista comentou; que foi a bateria de pior julgamento já visto e mais algumas coisas que voce já está sabendo. Então brazilians surfers, danger judges in competition. Vamos para Margaret!

Texto by Castro Pereira Fotos by WSL/Sloane/Hughes

Publicado em

OZ – BELLS E PERFORMERS

O segundo dia do Bells Beach Pro na Oz foi de novidades nunca vistas ou sentidas, tirando a performance matadora de Samuel Pupo e Tatiane com sua amiga Luana, outras significativas ocorreram em Winkipop. Rolou baterias masculinas e femininas num mar regular, após um primeiro dia clássico. Primeiro fato ocorreu com a campeã aussie, Tyler Wright que após um heat poderoso foi derrotada pela wildcard Ellie Harrisson de 18 aninhos. Outra surpresa foi com a sensação Molly Picklum, líder do ranking que foi derrotada pela novata Sawyer Lindblad e seu backside atack. Outra favorita em Bells, a hawaiiana Bettylou Sakura Johnson foi derrotada pela compatriota Gabriela Bryan, que surfou muito.
Na área dos senhores, o aussie Jack Robinson foi trespassado pelo conterrâneo, Morgan Cibilic (sorriso do Coringa) outro wildcard do evento. E na última disputa do dia em Winkipop, o aussie Ethan Ewing e seu surf matador, quase caem frente a outro wildcard George Pittar. Um matador que finalizou o heat com 12.73 contra 12.93 de Ewing, cuja mãe tem seu nome no hall da fama aussie. É isso, novidades e declarações como a da ianque Lakey Peterson sobre os julgamentos, assombram os contenders em Bells nessa temporada e porradas na prancha do italian boy Fioravante. Aguardemos mais!
Texto by Castro Pereira Fotos WSL/Hughes/Sloane

Publicado em

BELLS BEACH VAI DAR START

A etapa mais gelada e esfuziante do surf aussie inicia nesta semana em Torquay, e promete altas performances na pista de sua clássica arena. O tour da WSL chega com seu circo e muitos novatos querendo mostrar serviço, nas ondas da lendária Bells. Os confrontos já estão formados e entre os homens alguns chamam a atenção, devido a atual colocação no ranking estar abaixo do corte e outros pela técnica já demonstrada e constatada. A brasileirada entra com nove atletas e vamos para o tudo ou nada. Sete caras e duas meninas boladas, com muito surf no pé. Entre os destaques muitos novatos e algumas novatas, fazendo o surf subir de produção no Pro Bells Beach 2024.
Vamos aguardar um bom swell e boas ondas na região de Torquay para assistir-mos que bixo vai dar.
Texto by Castro Pereira Fotos WSL/kirstin/

Publicado em

IANQUE VENCEU EM SUPERTUBOS

O ianque, Griffin Colapinto supera o aussie, Ethan Ewing que vinha correndo por fora em Supertubos, Peniche, Portugal e vence o Meo Rip Curl. Colapinto também realizou três fortes baterias no dia das finais, sábado passado dia 16. Na semifinal encarou no mano a mano nas ondas de 1,5 metro a Gabriel Medina que vinha bem no evento e seguiu firme para faturar a final. Observadores dizem que Medina foi mal julgado. Na ala das meninas a brasileira Tatiane Weston Weeb também caiu na semi-final com a aussie Tyler Wright e ficou em terceiro. A grande campeã foi a francesa Johanne Defay que faturou os dólares e a taça. A próxima etapa da WSL rola na terra dos cangurus apartir do dia 25 próximo nas geladas águas de Torquay, a clássica Bells Beach.
Texto by Castro Pereira Fotos by WSL/ThiagoDiz/Poullenot

Publicado em

WSL – PORTUGAL RODANDO

Então, Medina acordou do fuso horário depois de faturar em Porto Rico e saltar para um vôo até Supertubos, Ericeira, Portugal. Tomou na cabeça no primeiro round e na repesca já sossegado iniciou sua caminhada.
No round três se encontrou com seu camarada e irmão Miguel Pupo e foi arregaçando as marolas no molhe Leste. Deu 16.60X10.03 de Miguelito. Nesse round caíram também, David Silva frente a Ethan, Caio Ibelli frente a Fioravanti e Samuel Pupo que atacou até o fim com Kanoa vencendo por 13.00X12.60 na finaleira de bateria. Nas oitavas continuou o arranca rabo desta segunda-feira com Italo caindo frente a Ethan e Yago que vinha consistente, caiu frente a Ramzi Boukhiam do Marrocos que entrou no tour não pra dançar. Sobrou Medina que mais uma vez arrasou quarteirão fazendo 17.16X8.84 de Jack Robinson que estava bem no evento. Agora ele o Medina entra nas quartas com o italian boy Leo Fioravanti, nesta terça. Horário é 4:00hrs de Brasilia.
Entre as meninas as brasileiras fazendo seu riscado e já estão nas quartas, depois de baterias casca grossas. Tati se encontra com Bettylou Sakura e Luana Silva se encontra com Johanne Defay. Acompanhe pela Net.
Texto by Castro Pereira Fotos WSL/Poullenot/TDiz

Publicado em

PORTO RICO – BRASIL FATURA ISA

Que bagaça mais irada esse ISA World Surfing Games, que rolou em Porto Rico na praia de Rastrial nos heats finais, dia 03 passado. Sobe mar e desce mar performances de power surf de tops mundiais, todos reunidos para defender suas bandeiras e como no world tour, quebrando as ondas. A etapa portuguesa já rola e Porto Rico, serviu de palco e arena para o que encontrarão por lá. Bem aqui a seleção brasileira foi destaque e foi espetacular nas finais, vencendo também como equipe. Graças a atuação do tricampeão mundial Gabriel Medina, que venceu a final e também acabou conquistando vaga para as Olimpíadas. Assim como Tatiane Weston Weeb que ficou em segundo na final e conquistou vaga nas Olimpíadas para Luana Silva.
Yago Dora que chegou até as semi-finais, também ajudou ao Brasil somar bons pontos. No resultado final por equipes, Brasil foi primeiro, França segundo e Austrália em terceiro. Finalizando teremos em Paris, lutando por medalhas em Teahupoo, Gabriel, Filipe Toledo, João Chianca, Tatiane, Luana e Tainá Hinckel. Um time power surf de responsabilidade e representatividade do maior país do surf mundial na atualidade.
Texto by Castro Pereira Fotos by SeanEvans/ThiagoDiz/PabloFranco